quarta-feira, fevereiro 15, 2017

Indelével

Tudo que nos cerca, tem a nossa mão.
No toque, no cuidado, na falta de cuidado, no afago, no gesto brusco, na seleção, pra saber se está quente, se já esfriou, se a resposta veio, se a mensagem foi, se os menino tão quentinho, se o Serafim ainda é macio.
Pra tudo, nossa mão tá lá.
Até mesmo pra dizer adeus.
Tá lá.

Um comentário:

Dalva M. Ferreira disse...

E mesmo depois que a gente foi embora, a nossa pegada fica em algum detalhe. Mesmo que ninguem a veja, ela fica.