terça-feira, dezembro 13, 2016

Livraria

Dos 11 aos 14 anos eu frequentei a Livraria São Pedro.
O conceito moderno de livraria ainda não existia e os livros ficavam  dispostos em prateleiras nas paredes, que iam até o teto,  atrás de pesados balcões de madeira.
Eu ia junto com a Rosana, uma amiga da escola, e o dono deixava que folheássemos títulos antes de comprar.
Eu economizava o dinheiro do lanche para comprar livros dos quais eu lia trechos nos livros de português. Ou algum que eu tinha lido da biblioteca da escola e tinha gostado tanto que queria ter um pra chamar de meu.
Não éramos intelectuais, nem  meninas prodígios, nenhum expoente de inteligência excepcional.
Apenas gostávamos de histórias e tínhamos professores que nos apoiavam nessa construção de auto estima.
Além disso, o cheiro da livraria era delicioso.



Nenhum comentário: