sexta-feira, dezembro 30, 2016

Ano Novo

Em 2016 eu plantei.
Torci pela semente,que às vezes nasceu.
Colhi poucos e bons frutos.
Vi os meus florescerem.
Cozinhei pra quem gosto.
Coei café com lágrimas e com risos.
Desenhei a minha linha do tempo e aceitei que há mais passado que futuro.
Não há tempo para plantar sementes ruins, receber pregação, beber café frio, ouvir o que dói e brindar sem vontade.
Sou imperadora suprema no espaço que vai do portão ao quintal, devendo adoração, louvor, sucumbência total e devoção eterna apenasmente a dois gatos malcriados e divinos.
Que 2017 venha.
E, se for de paz, pode entrar!



terça-feira, dezembro 13, 2016

Livraria

Dos 11 aos 14 anos eu frequentei a Livraria São Pedro.
O conceito moderno de livraria ainda não existia e os livros ficavam  dispostos em prateleiras nas paredes, que iam até o teto,  atrás de pesados balcões de madeira.
Eu ia junto com a Rosana, uma amiga da escola, e o dono deixava que folheássemos títulos antes de comprar.
Eu economizava o dinheiro do lanche para comprar livros dos quais eu lia trechos nos livros de português. Ou algum que eu tinha lido da biblioteca da escola e tinha gostado tanto que queria ter um pra chamar de meu.
Não éramos intelectuais, nem  meninas prodígios, nenhum expoente de inteligência excepcional.
Apenas gostávamos de histórias e tínhamos professores que nos apoiavam nessa construção de auto estima.
Além disso, o cheiro da livraria era delicioso.



domingo, novembro 20, 2016

Ponto de vista

Freud era uma criança aplicada, estudiosa, que na adolescência ja falava 6 idiomas, possuía seu próprio quarto, numa familia de 8 irmãos, dentro os quais, quatro irmãs. Era adorado pelos pais e certa vez uma das irmãs começou a estudar piano e teve que parar pois Freud reclamou que o barulho o atrapalhava nos estudos.
Quando a segunda guerra já era fato e ele teve a saída pra Inglaterra possível por conta de seus contatos, estabelecidos por puro mérito, as quatro irmãs foram mortas em campo de concentração.
Taí um material pra um roteiro de filme que eu adoraria escrever. Do ponto de vista de uma dessas irmãs.

segunda-feira, novembro 14, 2016

Tic-tac

O tempo não traz nada. Nem leva.
Não cura feridas.
Não faz o bolo crescer.
Não melhora nossa vida. Nem piora.
Não ensina coisa alguma.
O que melhorou, se extinguiu, acabou, cresceu e doeu na nossa vida foi conquista e consequência de atos. Próprios ou de outrem.
O tempo, só o que o tempo fez, foi passar.


quinta-feira, outubro 27, 2016

Empatia. Existe?

Empatia. Será que ela existe?
Observando comportamentos, inclusive meus, observo que o "lugar do outro"é invisível pra nós quando esse lugar não se comunica com nossa realidade em nenhuma medida.
Não é que não nos importemos, simplesmente não enxergamos.
Se não há nenhuma possibilidade de estarmos naquela situação seja no presente, no passado ou no futuro, nós mesmos ou um ente querido, simplesmente não percebemos o fato e a situação.
Sendo portanto necessária a identificação pessoal para que a empatia ocorra, empatia já não é pois aquele lugar já é nosso por definição.
Tenho feito exercícios diários pra contrariar essa percepção, debalde.
Caio sempre na questão "sim, eu enxerguei pois poderia ser eu."


terça-feira, outubro 11, 2016

Godfather

O Poderoso Chefão não é um filme. 
É a resposta a todas as questões físicas e metafísicas do Universo.

- O que levamos pro pic-nic?
- "Deixe a arma. Pegue o canolli."
---
- Três da manhã? Onde vc estava seu cafajeste?
- "Não pergunte sobre meu trabalho, Kay."
---
_ Vai mandar polir o carro de novo? Duas vezes na mesma semana?
- "Mulheres e crianças podem ser descuidadas, homens não."
---
- Mãe, não suporto mais meu chefe e a mulher dele!
- "Dê dois tiros na cabeça de cada um, saia devagar sem correr e deixe a arma escorregar pela mão."

Pra tudo.

domingo, outubro 09, 2016

Apocalipse

Sobe do mar uma besta de sete cabeças e dez chifres. A besta era semelhante ao leopardo, como pés de urso e a cabeça de um leão. João conta detalhes sobre a besta, suas características e ainda sobre um dragão que interage com a besta. Em seguida ele relata que viu subir da terra outra besta de dois chifres semelhantes aos de um cordeiro. Essa coisa abre três selos e a cada selo aberto libera uma peste e cai um terço das estrelas do céu.
Tenho uma curiosidade puramente botânica em saber que tipos de cogumelos crescem na ilha de Patmos.


domingo, outubro 02, 2016

Porta

Demorei a entender que sou passagem.
Abrigo viajantes, facilito caminhos e descanso junto naquela pausa necessária entre um trecho e outro.
Não sou destino.
O meu nome não está impresso no bilhete.
Alguns seguem com muito de meu, outros nem tanto, muitos nada.
Mas eu mantenho a porta florida e o café fresco.
Pois o viajante se vai, sempre.
Mas eu terei algo belo a descansar os olhos, lembrando dos risos em torno da mesa enquanto sorvo o meu café.




sábado, outubro 01, 2016

Uso adequado

I have a dream.
É assim,ó:
Eu compro uma croc roxa número 46 e convido uma visita beeemmm de cerimônia pra jantar.
Boto o cerumano sentado na minha cozinha, sirvo um vinho de 70 pila pro indigitado naquela taça de cristal de ver deus enquanto cozinho uma massa beem metida a besta.
Aí, no meio dum assunto pedante à beça, tipo a morte do Hobsbawm, eu simplesmente escorro a massa NA CROC ROXA 46, com muita naturalidade e mui seriamente. E sirvo em seguida.
Não seria a glória?



terça-feira, setembro 27, 2016

Temperos

Desejo a você temperos.
Alguns levemente amargos, muitos picantes, adocicados, de aroma profundo a perfumar o ambiente.
Desejo que saibam da sua lida pelo perfume, o sabor e a beleza da apresentação. 
Que adivinhem a sua chegada no sorriso de um prazer antecipado.
E que o seu manejo desses temperos seja cada vez mais pessoal e único a lhe conferir personalidade.
Descubra a cada dia mais um. E junte aos bons.
Precisamos disso.


sábado, setembro 24, 2016

Curso imperdível

Gostaria de montar um curso, pra homens, destinado a mudar os rumos da civilização ocidental, elevar o nível do IDH mundial e encher meu bolso de dinheiro, não necessariamente nessa ordem.
Décadas de estudo sério e amplas pesquisas na área definiram os temas a serem abordados. Adianto alguns:
- Como abrir um sutiã usando apenas dois dedos - habilidades específicas.
- A TPM dela e a final do campeonato - gerenciamento de crise com base empírica na Faixa de Gaza.
- Seu carro não é mais importante que ela - aprendendo a mentir pra si mesmo com convencimento.
- Cotonete usado>lixo, papeleira vazia>papel higiênicio reposto, roupa suja>cesto, aniversário dela>presente - unindo pontos inimagináveis.
Acredito que essa seja a maior contribuição jamais feita à humanidade.
Inscrições abertas, em breve.

quarta-feira, setembro 21, 2016

Dorgas

Joana Darc carregava todos os sintomas para tratamento com Prozac; 
Nietzsche era forte candidato ao lítio;
Napoleão e Aníbal não passariam da primeira consulta sem levarem pra casa uma caixa de Lexotan cada um;
Alexandre, O Grande não teria nunca alta da terapia.
Ou seja:
A medicina em geral e a indústria farmacêutica em particular além de cuspirem na cabeça de Darwin, comprometem os rumos da Cultura ocidental.


terça-feira, maio 24, 2016

Pregação

Onde termina a discussão de ideias e começa a pregação?
Pregar - significado: Abordar, comentar um assunto por sermão, pronunciar um sermão, fazer a divulgação de, alardear, passar ensinamentos, fazer acreditar.
Pregação é marketing.
É a forma de se vender uma ideia, enfiá-la goela abaixo de seu interlocutor.
Pois quem se dispõe a pregar não está interessado em ouvir. O pregador se acredita superior e onipotente e não há disposição à troca.
A pregação não convive com nenhum tipo de diversidade, ela só aceita a conversão.
Querendo converter ela se acredita superior, portanto impermeável a argumentos.
Discutir ideias não converge obrigatoriamente ao consenso geral.
A pregação necessita de subjugação.
Propagar diferentes meios de vida e formas diversas de pensamento são veículos essenciais na busca por interlocução, afirmação social e identificação dos grupos.
Pregar é usar o seu parâmetro como arma para construção de hegemonia.
Portanto, discordar e oferecer antítese é o caminho para o crescimento.
Repetir dogmas visando obediência é nocivo à liberdade e conduz à dominação.
Nessa guerra eu escolho ouvir todo tipo de argumento e pensar sobre o alcance do seu significado mas nego ao pregador qualquer tipo de palanque.

sexta-feira, fevereiro 05, 2016

Causa Nobre

Então, o papa.
Comé que pode a pessoa falar do papa na sexta feira de carnaval?
Sei lá.
Tava pensando.
Vi uma notícia que o papa recebeu quatro ex-prostitutas e as animou a superar traumas de abusos.
A prostituição é sempre algo "a ser superado".
Reconhecer como profissão e assegurar direitos é sonho defendido por poucos corajosos.
O papa, por exemplo prefere enfrentar o poder do dinheiro e reformar o Banco do Vaticano a apoiar a causa da prostituição como profissão. Porque coragem tem seus limites.
Mas arrisco a divagar sobre o tema na esfera bíblica.
Não vamos no exemplo óbvio da Maria Madalena abraçada aos pés de Jesus, na cruz e o Nazareno suspirando: "Hoje não, Madalena, que eu tô pregado!" que isso já tá batido e vai ter sempre quem conteste as intenções do filho de deus. Apesar de que eu duvi-de-o-dó que uma mulher lave seus pés, enxugue com os cabelos e o negócio pare aí, mas deixa pra lá.
Tava aqui pensando no nome que o papa escolheu e a extensão do seu significado.
Desde o conclave, o papa tem dado bons exemplos franciscanos. Mas ainda acho que ele não se deu conta que ao escolher São Francisco como causa e exemplo ele, imediatamente, se tornou o símbolo, o slogan e a palavra de ordem da mais antiga (e nobre) das profissões.
Papa Francisco poderia dar-se conta da harmonia entre causa e patrono e abraçar de vez a causa das prostitutas em busca de reconhecimento e respeito na profissão.
Afinal, quando São Francisco disse "É dando que se recebe" vocês acham que ele tava falando do que?