quarta-feira, abril 11, 2012

Eu pontuo, tu pontuas...

A vida é maior que a gente, sabemos disso. Mas tem dias que ela bate muito forte. Não precisava.
....
Fazer as coisas à pé ajuda a conhecer o bairro. Já identifiquei uma sapataria, uma frutaria e uma loja de produtos para dietas especiais que eu não conhecia. E todas pertinho de casa.
....
Já falei o que acho sobre as sacolas plásticas aqui no blog. O que continuo observando é a nossa tentativa cada vez mais desesperada de aprovação geral. Queremos que o politicamente correto nos alcance, que a simpatia geral nos aprove e que o mundo todo acredite que nos preocupamos com o bem da humanidade em geral e das baleias em particular. Mais idiota impossível. Ninguém se importa com TODO mundo. O nome disso é demagogia.
Mas a oportunidade de demonstrar publicamente a nossa superioridade moral, portando uma sacola retornável é irresistível. Mas até a pose melhor construída está sujeita a escorregadelas.
Na minha frente, na fila do supermercado, 11 da manhã, uma moça de salto 10, bolsa dourada de grife, sacola retornável de grife e rodando a baiana geral porque o menino que registrava as compras dela, portando uma camiseta que dizia "em treinamento"  tornava lento o processo pois tinha que consultar a tabela pra registrar as verduras e frutas que eram pesadas na hora.
Então, formô. Funciona assim: eu zero karma reciclando lixo e portanto não preciso participar nem minimamente de droga de processo de inclusão social nenhum. Eu quero "salvar o planeta", o bem da humanidade, a evolução social e cultural do mundo e o escambau desde que o meu tempo na fila não seja prejudicado. Afinal, essa sacola linda e cara que eu tenho nos ombros já sinaliza meu lugar no mundo. E ele é infinitamente superior aos demais.
Fofo, né?