quarta-feira, agosto 10, 2011

Segredos Inconfessáveis que Toda Mãe Deve Ter ou Prato Cheio pra Doutorado em Psicanálise

- Quando lavo roupas dos meus filhos que moram fora e depois não sei o que é de quem, me sinto muito mal.
- Toda vez (toda vez MESMO) que o tempo esfria eu procuro mentalmente onde cada um está e se estão devidamente agasalhados.
- Toda vez que ouço uma ambulância eu repito pra mim mesma: "que nunca seja prum filho meu".
- Cada vez que vejo uma mãe com filhos pequenos catando papelão na rua e empurrando aquele carinho pesadíssimo (como acaba de acontecer) eu choro. Mas nesse caso eu sei porque. Só eu sei o quão tênue é a linha que me separa dela. E o choro é totalmente egoísta, pois não é por ela. É por mim.

segunda-feira, agosto 08, 2011

Pontuando

- O cara escreve um livro com (centenas) de parágrafos tipo esse:  "A Europa latina continua sendo uma cultura periférica, isolada pelo mundo turco muçulmano, que domina politicamente do Marrocos até o Egito, a Mesopotâmia, o império Mongol do Norte da Índia, os reinos mercantis de Málaga, até a ilha Mindanau nas Filipinas..." e NÃO BOTA MAPA???
To eu aqui, xingando e manuseando Atlas Históricos, perdendo um tempão da p*rra, pra localizar o mapa histórico correspondente e tentar memorizar visualmente exatamente o que ele está falando.
Agora me diz: custava por os mapas todos no livro? custava? O livro ficava até mais bonitinho, cheio de mapinha colorido e me poupava da estiva. C*raio.

- Informo que comecei dieta na sexta. E hoje, segunda, tô com a bicha dominada. Em dia. Bonito. Sexta feira eu me peso e digo quanto eu perdi. Se não perder nada eu mato um.

Deixa eu voltar pro tronco. Cabô o recreio.