segunda-feira, janeiro 17, 2011

Globo de Ouro? Sim, pitacamos!

Fofocas do Globo de Ouro. Praticamos aqui:
http://www.brigite.com.br/blog/?p=431

sexta-feira, janeiro 14, 2011

Tartaruga sábia

Os quarenta anos trouxeram pra mim a preciosa consciência da mortalidade.
Nada dramático nem recheado de pavores.
Nada decorrente de fatos concretos.
Nenhuma predisposição ao lúgubre nem ao baixo astral.
A simples e indefectível sensação de que sim, um dia morremos e não será diferente comigo.
Claro que todos sabemos disso desde a tenra idade. Mas saber é muito diferente de sentir.
A ficha não caiu de uma vez. A coisa se deu aos poucos.
Mas acredito que o fato do meu filho mais velho ter terminado a faculdade tenha sido o grande divisor de águas.
Eu tinha uma frase recorrente: "quando meus filhos terminarem a faculdade, eu vou voltar a estudar." Analisando agora, todas as minhas frases recorrentes do período imortal começavam com "Quando" "Um dia" ou seja, num futuro indefinido e distante.
A consciência da mortalidade não trouxe pra minha vida somente um bom contrato de seguro, mas principalmente a certeza de que meu tempo é agora e quando é hoje.
O futuro indefinido e distante não existe.
E essa certeza ajuda a definir horizontes, a deixar de sofrer pelo impossível e aproveitar o máximo o que se tem à mão.
A decisão de fazer mestrado é parte de tudo isso. Uma nova etapa, um objetivo concreto, um horizonte possível dentro de um quadro que talvez tenha de mais fascinante o fato, agora palpável, de não ser eterno.

quarta-feira, janeiro 05, 2011

Três feridas narcísicas históricas

"A ciência repôs o Homem em seu devido lugar e abateu-lhe o orgulho: Copérnico removeu-o do centro do Universo; Darwin reduziu-o ao status de animal e Freud destronou  o seu intelecto, pondo o instinto em seu lugar."

Da Alvorada à Decadência....

terça-feira, janeiro 04, 2011

Aviso aos Navegantes.

- Ninguém tem tempo pra estudar;
- Ninguém tem paciência pra fazer trabalhos manuais;
- Ninguém gosta de lavar louça;
- Ninguém aprende uma segunda língua por osmose;
- Ninguém tem todas as manhãs livres pra leituras;
- Ninguém opta por correr na esteira numa lista de variedades de folguedos.
Portanto, se você não ganhou na mega-sena da virada, meu bem, dê cá a mãozinha e repita comigo:
Tudo isso aí em cima requer esforço, dedicação, hora extra de trabalho, vencer a preguiça, desligar a TV por dias a fio, cortar gastos, comer menos, beber menos ainda, "não, eu não posso ir ao barzinho", levantar cedo, ir à pé até a biblioteca pública.
E para aqueles que me vêem lendo a tarde toda, de caneca de café em punho, um aviso: declarações do tipo "eu queria tanto ter tempo pra ler que nem você" não serão toleradas. Em nenhuma hipótese.