sábado, maio 22, 2010

Por água??

Pilotos de avião são de um mau-caratismo sem tamanho.
Assim que você se acomoda, desafivela o cinto e pega a revista, lá vem o comandante:
- Senhoras e senhores, estamos voando a 32 mil pés de altitude, altura equivalente a 9 mil e 800 metros...
QUEM PERGUNTOU?!? Alguém, me diga, alguém quer realmente saber a altura daquilo?
Outra prova irrefutável de mau-caratismo latente dessa corja é a sua fixação por água.
É bom que se diga, nesse ponto, que tenho pavor de água. Concentrou mais de mil litros, tô fora.
A Fal disse que, na água, ela é que nem peixe. Eu também. Só saio se alguém tirar.
Então.
E os nobres comandantes, não contentes em voarem numa altura absurda, ainda fazem o percurso todo POR ÁGUA!! Vôos de São Paulo a Curitiba os féladapóta vão por cima do mar!!
Trace uma reta entre Sampa e Curipa. Viu?? Passa pela água Senhor Comandante??
Não conformo.
Tão achando bobagem? Tá. Se o avião cair na terra, pronto, cabou-se. Se cair no mar, quando tocar a água, nossos problemas estarão apenas começando.
Tirante o fato de que o National Geografic descobre um bicho novo por dia no fundo do mar e cada bicho novo encontrado tem uma perna a mais, vou contar mais uma coisinha que talvez você não saiba: sabe o tal do banco flutuante? É lenda. Aquilo não sai fácil, não. Você já tentou? Eu já. E não consegui. E chave de fenda ninguém deixa levar, né?
Então, todo um universo conspirando contra e o diabo do comandante encerra o vôo com mais uma gracinha: Sejam bem vindos a Curitiba! Garoa fina e temperatura a 8 graus. Divirtam-se!
Tomara que o zíper da mala dele emperre.

segunda-feira, maio 17, 2010

Post longo. Tá avisado.

A @bolsinhaprada levantou essa lebre no twitter e isso me icomodou muito.
Ainda não sei se movida por preconceito ou medo que a mudança sempre acarreta, mas, o fato é que fiquei muito incomodada com  a coisa e resolvi rascunhar um texto na tentativa de clarear as idéias e verificar se meu incômodo tem fundamento.

Saiu uma matéria na Folha de São Paulo com educadores defendendo que a letra cursiva deveria deixar de ser obrigatória nas escolas.
A matéria está aqui http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u736314.shtml e eu vou tentar entender o que me incomoda tanto nisso tudo.

A matéria cita, em primeiro lugar, Piaget e o seu método Construtivista como fundamentação. Eu fiz magistério (veeelhhhaaaa), estudei Piaget e dei aulas em escola que trabalhava com o método Construtivista para o ensino fundamental e não consigo entender a relação. Para Piaget, a abordagem construtivista ajuda o educador a pensar o conhecimento científico a partir da perspectiva de quem aprende. E nesse caminho, toda a forma de expressão tem valor. Se o aluno se expressar na escrita de forma cursiva ou de bastão, isso tem muito pouca e até nenhuma valorização na avaliação dessa expressão, pois, para Piaget, o educador deverá valorizar e estimular no aluno, acima de tudo, a construção do seu pensamento. Mas isso não exclui, de forma alguma, nenhuma etapa do caminho do aprendizado nem limita e despreza qualquer forma de expressão.
O saber científico existe, assim como suas formas de expressão. E  Piaget não nega nenhuma delas. E a forma escrita, de maneira cursiva, é uma forma de expressão do conhecimento e portanto o construtivismo abraça essa expressão e não a trata como desnecessária ou obsoleta.

Entendo perfeitamente a professora da UFMG que defende no artigo que "No momento em que a criança está descobrindo as letras e suas correspondências com fonemas, é importante que cada letra mantenha sua individualidade, o que não acontece com a escrita "emendada' que é a cursiva; daí o uso exclusivo da letra de imprensa, cujos traços são mais fáceis para a criança grafar, na fase em que ainda está desenvolvendo suas habilidades motoras".
Por esse motivo é esse o método aplicado por  todos os educadores de ensino fundamental. A criança é alfabetizada em letra bastão (de forma) e passa a aprender a caligrafia cursiva durante o processo.

O artigo ainda passa pelo argumento da tecnologia dizendo que a letra de imprensa já avançou sobre a cursiva e outra pedagoga tem a coragem de dizer que a letra cursiva é responsável pelo alto nível de analfabetos no país:  "Acho que ela [a cursiva] é uma das responsáveis pelo analfabetismo em nosso país. As crianças além de decodificar o código da língua escrita (relação fonema/ grafema) têm também de desenvolver habilidades motoras específicas para "bordar' as letras. O tempo perdido tanto pelo aluno, como pelo professor com essa prática, aliada ao cansaço muscular, desmotivam o aluno a aprender a ler e muitas vezes emperram o processo".

Não vou fazer nenhum comentário sobre o baixo índice de acesso a computadores na idade de alfabetização num país de 180 milhões de habitantes pois acabo de descobrir, com esse último argumento, o que realmente me incomoda.
É o nivelamento por baixo.
Diante da incapacidade do indivíduo de lidar com suas próprias deficiências, tendemos a nivelar por baixo. A fazer concessões. Buscar a excelência não é difícil. Mas é muito trabalhoso. E, principalmente, demanda tempo. E tempo mais trabalho duro são coisas que muito poucos educadores se dispõem a oferecer.
Se ninguém mais passa no vestibular por conta da redação, eliminemos a redação.
Se o indivíduo chega ao final de uma faculdade de Direito sem saber construir um texto, ele faz um cursinho caro que resolve tudo.
Se a criança está com dificuldade de assimilar os significados e construir seu pensamento crítico, eliminemos a expressão escrita na sua forma cursiva. Isso deve resolver tudo. 
A dificuldade de aprendizagem das crianças em fase de alfabetização passa bem longe da necessidade de eliminação da caligrafia cursiva.
Isso é apenas um efeito make up num problema arraigado na base da nossa própria deseducação.
Mas atacar o problema, de fato, é outro assunto, para outros textos de outras personas de letras e saberes que não domino.
Aos educadores que têm como função pensar o país do ponto de vista de seus educados, não façamos concessões absurdas em nome de uma adequação imediata a tantas crianças que merecem um segundo olhar, bem mais atento, sobre suas dificuldades.
E àqueles miserável que, movidos por tantas concessões, nunca leram um livro na vida que não fossem aqueles exigidos na escola, meus pêsames. Você perdeu o bonde e ele não volta a passar na sua rua. Nunca mais.
E, principalmente, fique bem longe de mim.

Zás Trás!

Restos de ovos de páscoa
meia xícara de vinho branco
1 colher de manteiga
1 xícara de creme de leite fresco

Depois do chocolate ser dissolvido em banho maria, acrescentei os demais ingredientes, na ordem acima e despejei ainda quente sobre os morangos.
Sobremesa manjadíssima, mas deliciosa.

domingo, maio 16, 2010

Pérola de Marketing

O que significa?
Nós tentamos. Cuidamos do seu dente, do seu chulé e da sua saúde.
Mas se nada disso funcionar, nós te enterramos ou cremamos com estilo.
É do Vaticano direto pro céu!
Sem contar que "plano familiar" e "Vaticano" na mesma frase é uma pérola, né?

sexta-feira, maio 14, 2010

domingo, maio 09, 2010

Feliz Dia das Mães!

Filhinhos em casa, flores pela casa, dormir até tarde e vagabundear total. Não tem preço.
Dica: canecas fofas que, além das utilidades básicas, servem como vasos de flores: 1,98 cada no Mercadorama.

terça-feira, maio 04, 2010

Telefone sem fio

Então, gente.
Estes dias eu falei que bêbado tem que ficar longe de qualquer mídia pois senão faz merda.
Gente bêbada não pode, de jeito nenhum, operar email, celular, twitter, escambau.
Pois saibam que acabo de descobrir, do pior jeito possível, que gente lerda e velha como eu, também não pode operar nenhuma dessas mídias se não for com muuuuita tranquilidade.
Atarefada e cheia de coisinha nova das internéte pra aprender, a pessoa aqui passou o seguinte email para familiares:


Galera

Esse dia das mães vou conseguir juntar os 3 moleques. A Xu, quando se junta cos irmãos é moleque, tá decidido.
O Tiago e o Hugo não se encontram desde o Natal de 2008.
Então eu queria propor fazer um almoço de dia das mães no sábado pra deixar o domingo só pra vagabundear. Que tal?
Vocês tem compromisso pra sábado? Podemos marcar um almoço no quintal para sábado a partir das 13 horas?

Aguardo as respostas.

bejo

Seria um singelo email destinado aos meus filhos e à família do meu irmão se eu não tivesse, por uma manobra infeliz, imprudente e totalmente imperita, incluído, sem querer, (foi sem querer, eu juro!!)  toda a caixa de emails do Ateliê.

Ou seja, todos os clientes cadastrados no email do Ateliê receberam o email convidando para o almoço, numa linguagem, digamos assim, bem coloquial.

As respostas não demoraram a chegar e até agora já computei 45 pessoas confirmadas para o almoço. Metade disso ameaçando trazer a sogra. 

Como se não bastasse, aquela vaca da Fal me manda isso:

Querida Suzi, eu e as menina aqui do projeto ficamos besta com seu convite.
como nem todas vê o e-mail, avisei elas e daí que a Aucilene vai cás 3 criança, a Juraci vai levar o marido, o Jurandir, e o fio, o Jubileu, a dona Ermínia não tem família, coitada, mas ela vai levar aquele moço do gás tão bonzinho que ajuda ela arrasta móvis todo sábado (ela tem locura por decoração, a dona Ermínia), o seu Elias vai levar a dona Ismênia e vai mais eu, o Pedro Paulo, a Sabrina Louise, e o Robinsô. Ah, e o pessoal da egreja, né, 47 pessoas.
Inclui nóis na lista, tá?
Té sábado.
Janéte

ps: pra não ficar muito pesado pra você, nós se cotazimo e ompramo 10 caxinha de BIS lá nas Americana.

Isso é uma idéia do que eu estou tendo que aturar.