sábado, março 06, 2010

JC já voltou. Está entre nós.

O Oscar é amanhã.
Adoro a cerimônia, embora nem sempre a premiação concorde comigo.
Neste ano de retorno do James Cameron, fiquei pensando neste tipo de cinema que ele produz: arrebatador, impressionante e fantástico. Antes de tudo preciso dizer: eu gosto de James Cameron. Adoro Terminator, Aliens o Resgate, Titanic, O Segredo do Abismo, True Lies, e agora Avatar. Adoro mesmo. 
Segredo do Abismo, pra mim, é um grande filme. Uma equipe de cientistas tentando resgatar um submarino encalhado à beira de um abismo. História espetacular, roteiro do JC (gente! as iniciais do cara são JC!!! hahahahaah) e final inconclusivo que te obriga a pensar e tirar suas próprias conclusões. Foi o maior fracasso de bilheteria de James Cameron. E ninguém me tira da cabeça que foi aí que ele teve a idéia de filmar Titanic.
A partir de então ele foi desenvolvendo tecnologia e efeitos que tornaram seus filmes uma sequência de cenas memoráveis. 
Quando lembramos dos filmes de JC, lembramos de cenas, não de diálogos. A não ser por falas de Terminator que viraram galhofas geniais como Hasta la vista, baby! ou I will back! as cenas das quais lembramos de seus filmes envolve trilha sonora arrebatadora e efeitos de tirar o fôlego.
O emoção do cinema de JC envolve adrenalina. Ele cansou desse negócio de fazer pensar. Ele quer te entorpecer com beleza, grandiosidade e impacto. E faz isso muito bem.
O roteiro de Avatar é uma piada. Historinha manjada, humanos maus, alienígenas bonzinhos e devemos salvar o planeta. Pode ser escrito por qualquer menininha de oitava série. A grandiosidade é da imagem. E ela te toma de assalto, te envolve e te emociona até as lágrimas. É o cinema espetáculo. Aquele no qual você não precisa pensar. Ele te penetra as retinas e ouvido e você o absorve por osmose. O processo é natural e a receptividade é passiva.
É o tipo da semente que não precisa de solo fértil pois ela não tem a pretensão de gerar frutos.
Essa grandiosidade sempre levará milhões ao cinema. Eu entre eles.
Mas ainda acredito que o espetáculo da imagem não pode sobrepujar a história. E para efeitos de premiação o roteiro ainda define o melhor filme.
Obrigada ao James Cameron pelo maravilhoso espetáculo de cinema que nos proporciona com genialidade, trabalho sério e competência.
Mas o melhor filme da lista de indicados ao Oscar de 2010 é Bastardos Inglórios.
Até  amanhã!

Um comentário:

Isa disse...

Tb gosto de cinema espectáculo, bem feito, bem filmado, com bons efeitos. Gosto mesmo, mas não vi o Avatar... :( e pô, já n vou ver pq esse é filme que só dá pra ver em écrã grande...
Mas tb prefiro uma boa história, com boa fotografia e bons actores, actores que convençam ;)
Bjo