terça-feira, dezembro 28, 2010

Garantindo o uisquinho das creonças!


O ritmo só fica mais lento nessa semana.
Mas não pára.
Veja  as novidades!

domingo, dezembro 26, 2010

Então. É Natal?

Este foi o ano em que passei mais longe do Natal.
Decoração natalina zero.
Cozinhar zero. Comemos fora a maior parte do tempo.
Somente eu, a Xu e o Tiago. O Hugo está trabalhando na praia.
E estou adorando cada minuto.

domingo, dezembro 05, 2010

Vincere



Um romance, omitido na biografia oficial do Duce, do qual nasceu um filho reconhecido e depois renegado.
Ida Dalser foi mantida por 11 anos internada a força num manicômio para não comprometer a imagem pública do ditador, já casado com outra.
Adoro a estética do cinema europeu. Focos de luz permeando a penumbra, evitando iluminar a cena por completo. O efeito causado evidencia o clima do filme.
É um filme duro, pesado, difícil de digerir. Não explica nada em narrativas paralelas e você só vai entendendo determinados flashes no decorrer do filme.
Para mim, uma das falas mais emblemáticas do filme faz parte do diálogo entre o psicanalista, no manicômio, com Isa Dalser. Resumindo: "Para sobreviver, temos que ser atores".
Assistam.
Recomendo muito.

Garantindo o uisquinho das creonças!



A produção está bombando!
Não quer ver?
http://migre.me/2IU0R

quinta-feira, novembro 18, 2010

Bom dia!




quarta-feira, novembro 17, 2010

Promoção Brigite - Que Filme Eu Sou?

Tá rolando promoção na Brigite.
Venha participar!  http://bit.ly/aSgltb


terça-feira, novembro 16, 2010

José e Pilar

Fui assistir ao documentário sobre Saramago. Optaram por mostrar sua vida do ponto de vista da sua relação com Pilar. Achei acertado e humano.
É comovente vê-lo na faina diária, e  tenho particular predileção pelas cenas em sua mesa de trabalho.
Taí um registro que seria facilmente assinado por mim.
Não estou me alçando à tamanha capacidade técnica, nem estou dizendo que faço igual. Mas compartilho o ponto de vista de quem decidiu o fio condutor da obra.
Amo detalhes, pois acho que eles entregam o que há de mais autêntico em nós. O pé na pantufa, os dedos entrelaçados, o copo de leite trazem a mim o homem, o ser, o conjunto humano imperfeito e falho que labora a obra prima.
Não me atrevo a opinar sobre a posição política do escritor e sua tumultuada relação com Portugal. Deixo essa tarefa pra Isa , portuguesa da gema e, portanto, com maior propriedade no assunto.
As imagens são belíssimas.  Portugal e Espanha retratados como um luxuoso pano de fundo dessa trajetória soberba. Não conhecia mas pretendo acompanhar os trabalhos do diretor português Miguel Gonçalves Mendes.
 Me impressiona o fato de Saramago ter começado a escrever aos sessenta anos. E esse fato para mim explica a consistência da sua obra. São idéias amadurecidas, trabalhadas no processo de uma vida.
Esse é outro ponto forte do documentário. É uma obra honesta. Claro que a ideologia está lá, nem teria como ser diferente pois José e Pilar são pessoas ideologicamente comprometidas e vivem em coerência com sua forma de pensar. Mas essa ideologia é apenas uma face do retrato. Não é bandeira do filme.
O contraponto de temperamento do casal é divertido e interessante. Pilar é o vento que sopra em Lanzarote. Espanhol, impetuoso e veemente. Saramago é de uma sagacidade melancólica e serena.
Produzem juntos um senso de humor delicioso, complementar e único.
Momento total vergonha alheia do leitor brasileiro na fila de autógrafos pedindo ao escritor que desenhasse um hipopótamo. Assistindo eu queria morrer. Se estivesse presente no fato, matava o desgraçado.
A obra é emocionante sem ser piegas, o amor dos dois é lindo sem ser água com açúcar e temos do escritor  um retrato digno, comovente e humano, sem nenhuma dramaturgia, repleto apenas de vida.
Ainda não li A Viagem do Elefante, livro que o Saramago estava escrevendo na época do documentário mas tenho certeza de que quando vier a fazê-lo, Saramago e Pilar estarão comigo.
É filme pra ver no cinema e mais tarde comprar o DVD. Recomendo muito.

segunda-feira, novembro 15, 2010

Flores

Adoro mexer na terra.
Mas o quintal estava praticamente abandonado, entregue ao matagal que reinava absoluto e florido.
Ontem resolvi limpar tudo e tirei nada mais nada menos que oito sacos gigantes de lixo cheios de mato do quintal.
Mas antes de arrancá-los, colhi as flores dos dito cujos e fiz um vaso.
Olha que fofo: um vaso de flores de mato.

quinta-feira, novembro 11, 2010

Breve intervalo para fofocar cos colegas.

Estou estudando, me preparando para disputar uma vaga de mestrado ano que vem. Já falei isso, vocês já sabem.
E nessa faina diária de manter o trabalho em dia sem descuidar dos estudos, o blog passa a ser cada vez mais negligenciado.
Visitar e comentar no blog dos amigos então, nem se fala.
Passei pelo blog da Aninha esses dias http://www.urbanamente.net/blog/ e vi que ela também está em apuros, queimando as pestanas em um trabalho, nas palavras dela, sério. Importante. Necessário. Trabalho esse que a manterá por um tempo bem longe da produção dos deliciosos posts da sua lavra. Infelizmente.
Pois bem.
Hoje, em meio à pesquisa diária, me deparo com um trecho que quero dedicar à Ana Paula e ao Claudio Luiz http://correioselado.blogs.sapo.pt/ e dizer aos dois que, embora nossos caminhos e objetos de estudo sejam díspares e independentes, às vezes nos cruzamos de forma perfeita e o entrelaçar das palavras confunde nossos interesses e idéias.

Veja:

"... Leone Battista Alberti, o arquiteto quatrocentista que considerou que sua arte formava, com a escultura e a pintura, um só todo e escreveu sobre elas - ou, melhor dizendo, sobre esse todo - como uma só arte. Os novos edifícios precisavam ser decorados, os antigos, restaurados, com figuras adicionais aqui e ali, e nas paredes cenas em cor, mais impressionantemente reais do que nunca. Como a maioria de seus colegas teóricos, Alberti era também um prático. São de sua autoria os planos que, com algumas alterações, foram executados por Bramante, Michelangelo, Maderno e Bernini para criar o mais grandioso monumento da moderna Roma, São Pedro. Esse empreendimento tinha a propósito de assinalar o "renascimento de Roma", em paralelo com o muito discutido renascimento do espírito ocidental. Homem de grande e eclético saber, Alberti expôs para os pintores as regras da perspectiva e para os homens de negócios as do cálculo e da contabilidade. O seu tratado sobre arquitetura, em latim, foi traduzido para o francês, italiano, espanhol e inglês. Vemos aqui, uma vez mais, o imenso benefício da imprensa."
Da Alvorada à Decadência
A História da Cultura Ocidental de 1500 aos nossos dias.
Jacques Barzun


Em itálico, tipo que a tradição informa ter sido inspirado na caligrafia de Petrarca. Se é verdade, não sei, mas de posse dessa informação passei a pensar nos manuscritos de Petrarca como impecáveis cadernos de normalista.

Cabou o recreio. Voltemos à leitura.

Quem sai aos seus...

Sabe aquele jogo de cartas que os personagens do filme Bastardos Inglórios jogam na taberna? Aquele que consiste em escrever o nome de um personagem numa carta e passar pro cara da direita que cola na própria testa e tenta adivinhar quem é? Poisentão...
A Fia tava jogando com os amigos e fizeram o favor de passar pra ela a carta escrito Ulisses.
Resultado: todo mundo adivinhou a sua e tava lá a Xu com a carta na testa, desolada.
A amiga resolve dar uma dica e diz: Ciclope.
A Xu não tem dúvidas: levanta num pulo, exultante e grita, vitoriosa: Wolwerineeeeeee!!!!!
Essa fia é minha. Não dou, não empresto, não vendo por dinheiro nenhum!
bejoteamo Xu!

sábado, novembro 06, 2010

Correio Elegante

Aninha e Claudim

Só tenho uma coisa a dizer: a vida em sociedade demanda cada vez mais esforço.
bejos

Desejo de matar uns quatro

Neguim me manda, em sequência, os seguintes emails:
- Jesus morreu por ti e, portanto, a culpa é sua.
- Vacina pra depressão é religiosidade, perdão e fé.
- Mesmo que sua vida seja uma tragédia, Deus te dá de presente O DIA SEGUINTE!!!
No momento, minha caixa de entrada é o mais forte motivo pra não adquirir um porte de arma.

quinta-feira, outubro 28, 2010

Bazar Brigite!

Atenção, Curitiba!
Bazar Brigite dias 29 e 30 de Outubro, sexta e sábado!
10% de desconto somente no Bazar!
Rua José de Alencar 1947 - Juvevê
fone: 41 3024 8842
Vamos deixar o primeiro portão aberto para estacionar aqui dentro.
Esperamos vocês!
Suzi Márcia

quinta-feira, outubro 14, 2010

Conto com isso

Analfabeta que sou em língua portuguesa, a reforma da gramática me prestou um grande serviço.
Quando flagrada num escorregão gramatical (coisa rotineira) eu digo na maior cara de pau: é que eu sou habituada à velha gramática.
Hoje nem precisa botar muito reparo pra concluir: tá errado nas duas. Mas daqui a 30 anos vocês me aguardem.

segunda-feira, outubro 11, 2010

Fato

Todas os times de futebol se odeiam. Assim como todos os times de futebol, juntos, odeiam o Corintians.
Acaba de me ocorrer que, para os protestantes, a igreja católica é o Corintians da religião.

Queimando as pestanas

 "Quando as pessoas aceitam a futilidade e o absurdo como normal, a cultura está decadente. O termo não é uma crítica; é um rótulo técnico. Uma cultura decadente oferece oportunidades principalmente para o satirista, e o final do século XV teve muitos, um deles de primeira grandeza: Erasmo."

Como não amar uma leitura dessas?

Da Alvorada à Decadência - A História da Cultura Ocidental de 1500 aos nossos dias
Jacques Barzun
Ed. Campus

sábado, outubro 09, 2010

Falou e disse.

Obrigada, Aninha!
Eu adorei o que Ivete Sangalo acaba de twittar:

 lvetesangalo 
hoje é dia do nordestino parabéns para nós que somos esteriotipados como desprovidos de inteligência mas não fomos nós que elegemos Tiririca.


Falou e disse, Ivetão. Te dedico.

Quem sai aos seus...

Voto de protesto é no macaco Tião. Macaco Tião mora no zoológico, gente fina e não corremos o risco dele tomar posse.
Voto no Tiririca só revela o quanto você é burro, tapado e inconsequente. Parabéns!

terça-feira, setembro 28, 2010

Direito a ter o direito de


Neste delicioso recanto de belezas mis, esse país valoroso de povo belo e formoso o voto é obrigatório.
Pois bem.
Considero o voto uma procuração. E dentro disso, meu processo de escolha é o seguinte: elejo uma pessoa que (acredito) vá agir de forma coerente com o que considero correto e apropriado para o cargo e prego bala: voto nela.
Nas últimas eleições, incluindo esta, diante da total ausência de candidatos que se encaixem nesse perfil,  tomei uma decisão.
Primeiro analisei os contras.
"Estar em dia com as obrigações eleitorais" significa: votar, justificar a ausência OU pagar a multa do TRE por não ter feito nem uma coisa nem outra.
É por aí que eu vou. Ano passado, ao precisar refazer meu RG paguei uma multa de 3,50 por não ter votado na eleição passada. E fiz meu documento normalmente.
Fico imaginando se 80% da população votante não fosse às urnas, o revertério que seria.
Até porque nem existe precedente juridico para o fato. Seria, no mínimo, um recado bem dado.
De qualquer forma, cada um com seu cada um não é mesmo?
Se o seu recado é dado nas urnas, ótimo! Se você não abre mão de escolher seu candidato, ok!
Eu prefiro pagar uma graninha extra ao TRE e curtir meu domingo em paz.
Pois na minha particular, exclusiva e democrática opinião digo a vocês: não vale a pena.

quinta-feira, setembro 23, 2010

Não é por nada não...

... mas quando você for qualificar uma pessoa como "fora da lei", a primeira coisa a ser analisada é de que tipo de lei estamos falando. Em outras palavras, qual foi a lei, a autoridade ou o regime que esta pessoa afrontou.
Só pra citar um exemplo mundialmente conhecido, o cristianismo tem todas suas bases fundadas num personagem que afrontou a lei vigente, foi perseguido, preso, julgado, condenado e morto. Portanto, um total fora da lei.
Pense nisso quando for usar esse tipo de argumento para (des)qualificar alguém.

domingo, setembro 19, 2010

No meu quintal já é quase primavera!

Flores do caquizeiro e do manjericão.

terça-feira, setembro 14, 2010

Correio Elegante

Meninas, obrigada!
A área é Direito.
A linha de pesquisa ainda não defini.
Mas vou trazendo à baila aos poucos.
beijos!

Streeptease das palavras

Comecei a estudar para o processo seletivo do Mestrado.
É uma empreitada maior que eu, minhas condições não são as ideais, mas teimosia é meu nome do meio e conto com um precioso apoio sem o qual seria impossível tentar.
Bem, como não estudo seriamente já tem uns bons quinze anos, tive que retornar aos pré-socráticos para que as coisas comecem a fazer sentido.
E a maior dificuldade que tenho enfrentado é a de despir determinadas palavras de qualquer preconceito a fim de alcançar seu real significado.
Os fatos, a vida, nossa estrada e nossas dores revestem determinadas palavras de uma carga que não é delas. Emprestamos a elas significados que são só nossos. E o significante se perde no meio de tudo.
Esse streeptease tem me custado os olhos. Literalmente. Pois tenho redobrado o  estudo semântico na tentativa de voltar às origens das palavras. E a partir daí (re)construir meu pensamento.
Desejem-me sorte.

sexta-feira, setembro 10, 2010

Por nada não.

O sistema me pediu uma frase de segurança para a senha.
Não consegui pensar em outra. Afinal "Deixe a arma. Pegue o canolli" resume a minha vida.

quarta-feira, agosto 25, 2010

Baú

Vó Dozolina e Vô Antônio Castelani.

Reflexões. Calcule a profundidade.

Nos radares de 60kmp/h os motoristas de Curitiba passam a 30kmp/h. Imagino que seja pra ganhar bônus.
Imagino, ainda, que façam parte da geração que cresceu jogando Mário. Continuam acumulando moedinhas no trânsito.
...
Ainda sobre o fantástico trânsito curitibano, se você ligar a seta todos os motoristas da faixa para a qual você pretende passar a-ce-le-ram.
...
Nana Caymmi na vitrola. Pois precisamos de alento.

quinta-feira, agosto 19, 2010

Contabilidade maluca

Nessa história de site novo, divulgação e escambau, quando vou entrar numa página tenho que parar um pouco pra lembrar login e senha. Com isso fiquei impressionada com a quantidade de logins e senhas que estou lidando diariamente e resolvi contar:

MSN - 2
Orkut - 2
Twitter meu - 2
Twitter Brigite - 2
Blogs particulares - 2
Blog Brigite - 2
Conta física  - 3
Conta jurídica - 3
Site - 2
Emails Brigite - 2
Emails export - 2

Unificar tudo num login e senha só nem pensar, né?

Outra coisa: MSN pra mim morreu. Só entro lá muito de vez em quando pra limpar a caixa de emails e fico impressionada com a quantidade de mensagem com vírus.

terça-feira, agosto 17, 2010

Feijão de mãe.

Aqui em casa adoramos feijão.
E no dia que cozinho feijão, acho impensável comê-lo com sobras de arroz requentado, por exemplo.
Tenho que cozinhar um arroz, fazer uma carne fresquinha, um molho, uma salada, enfim, o dia de cozinhar feijão tem que ser com refeição completa.
E eu já começo a degustar o feijão em pequenos copinhos de caldo, terminando a refeição.
Quando meus filhos estão em casa, adoro servir estes caldinhos em copos de pinga,com um fio de azeite e salsinha picada por cima.
A galera, em geral já  morta de fome, sorve o caldinho antes da refeição com aquele gostinho de casa de mãe.
E hoje, como as aulas vão somente até ao meio dia e a Xu vem almoçar comigo, eu fiz arroz, feijão, salada de alface com azeite, sal e balsâmico e um filé de merluza com azeite de dendê e leite de côco.
Servidos?

domingo, agosto 15, 2010

Pontuando num domingo gelado, ensolarado e delicioso!

Acredito piamente que paciência é que nem óvulo. Você nasce com um estoque limitado e vai usando ao longo da vida. O meu acabou.
...

Estou fazendo uma manta com todos os restos de lã da casa. Pois minha doida cabeça de mãe acredita que  a peça  feita pela minha mão aquece os filhinhos muito melhor.
...

Por que um seriado tão giro (oi Isa!) tem um nome tão cretino? - The Good Wife (What???)

quarta-feira, agosto 11, 2010

O Sabonete das Estrelas!


Escrevi  no blog da Brigite sobre Cosméticos Vintage.

Vai lá?

quinta-feira, agosto 05, 2010

Filho Pródigo!

O meu preferido está de volta!!!!!
Pedro, vulgo Ruminante, chega nesse fim de semana depois de um longo exílio na Itália!
Lenda viva na Poli-Usp, vem terminar seu curso junto dos amigos.
Fez essa coisa mimosa de convite abaixo  que não resisto em transmitir a todos.
Com vocês, o Cara, a Entidade, a Lenda:



segunda-feira, agosto 02, 2010

Ideias em Movimento



Galera, o tempo para estar aqui é curto pois as energias estão concentradas na Brigite.
Mas deixo aqui mais uma etapa do trabalho.

Somos repletos de referências e juntei um bocado delas nessa janelinha.
Espero que gostem.

sábado, julho 24, 2010

Já foram ver Brigite?


Gente, que a coisa apurou de vez!
Mas passa lá pra dar uma espiada que vale a pena. Garanto.
Além das bijus, tem a Linha Casa com novidades: marcadores de bagagens, lixeira para carros, etc.
Vai lá?

Ah, o Brigite tem twitter , com promoções e sorteios! @brigitecwb


beijos
Suzi

quarta-feira, julho 21, 2010

Comentários. Fazer ou não?

Ouvindo o Podcast 34 do Radiofobia, fiquei pensando sobre comentários em blogs.
Ouço vários Podcasts enquanto trabalho na confecção das peças do Brigite e um Podcast acaba levando ao outro.
O Nerdcast me levou ao Rapaduracast que me levou ao Papo de Gordo que me levou ao Baú Pirata, Monalisa de Pijamas, Radiofobia, Toscochanchada e vários outros. Eles me ajudam, inclusive, a permanecer acordada quando trabalho até tarde.
Mas o fato é que eu quase nunca deixo comentários. É assim também nos blogs que frequento. A não ser em alguns, de pessoas mais chegadas, há blogs que leio com frequência e nunca deixei comentário. Coisa feia, né? Sei a importância disso para o blogueiro/podcaster afinal de contas eu também tenho um blog, mas este post é do ponto de vista do leitor/ouvinte. E,  eu friso: as impressões abaixo são tão somente isso: minhas impressões.



 - Tempo
Realmente, não consigo ouvir/ler todos os blogs e podcasts que gosto e ainda comentar. Não gosto de fazer comentários óbvios, frases feitas, só pra marcar passagem, embora às vezes eu passe em blogs de amigos só pra deixar um beijo. Mas são amigos, que não vejo nem falo a muito tempo e aquele beijo é um oi básico. Mas fico vendo aquelas pessoas comentando nos podcasts: "Baixando!", "Primeiro!" e imagino a cara de ódio do Podcaster/blogueiro. Desta forma, se não é o blog de uma pessoa íntima onde eu posso dizer "Beijos,saudade!" e sair correndo, não vou comentar "Legal". Eu tenho o hábito de ler o post e, se for comentar, ler todos os comentários anteriores daquele post  e só depois escrever o meu. E sso realmente toma tempo. Então, se o tempo não me permite fazer o comentário da maneira que considero adequada ao post, eu saio de fininho.


 - Relevância da gargalhada
Se o post é engraçado, às vezes basta uma gargalhada, né? É como uma piada que você gostou e a gargalhada é totalmente relevante no contexto sem contar que gargalhada nunca é lacônica. Você leu, gostou e quis deixar registrado isso.  A gargalhada no comentário de um post é a exceção à regra do primeiro item.

- Timidez
Se eu não tenho intimidade com o blogueiro/podcaster, a mais básica possível, eu nunca comento, confesso. Sei o quão besta é esse comportamento e já tenho todo um contra-discurso preparado mas ainda não sou capaz de evitar. Se eu não leio o blog a tempo, não entendo bem a dinâmica da coisa e ainda não peguei a toada, eu não comento. Acho sempre que serei invasiva.

Não é nada mole a vida de comentador.
Mas, aqui, comente sempre. Por favor.

terça-feira, julho 20, 2010

www.brigite.com.br




 Amores!
A casa nova ficou pronta. É claro que a gente sempre acha coisas de ultima hora pra fazer e vou acertando uma coisinha aqui e outra ali e botando tudo do jeito que a gente gosta.

O blog do site, por exemplo, ainda nao ficou pronto e vou continuar a escrever por aqui e vou começar a escrever também por lá assim que ele ficar pronto.

A casa é nova, o café é fresco e será um prazer receber vocês!


beijos
Suzi

quinta-feira, julho 15, 2010

Vivendo e não aprendendo a jogar. Obrigada.

O Jogo. Ah, o jogo...
A vida deve ser muito mais fácil se você jogar o tempo todo.
Eu não sei se existe uma hierarquia no jogo, se existem pessoas que só jogam com coisas pequenas, decisões menores, situações corriqueiras ou isso é uma característica inata que determina o comportamento do indivíduo em todas as instâncias.
O fato é que eu odeio o indivíduo jogador com todas as minhas forças.
Ele nunca diz o que ele quer. O que ele prefere e, principalmente, o que ele não quer.
Faz sempre um joguinho de palavras e atitudes pra que a responsabilidade sobre qualquer decisão passe muito longe do seu endereço. E com isso será sempre mais fácil desempenhar o vantajoso e confortável papel da vítima.
Tem aqueles jogadores mais agressivos que despejam a responsabilidade de seus atos sobre os demais e o mundo à sua volta sem nenhum escrúpulo ou pudor. Se você não fizer isso eu vou me matar!!  Juro. Tem isso. Incapaz de assumir a responsabilidade e as consequências de seus atos e da sua vida, ele joga com a chantagem, a dissimulação e a covardia travestida desses atributos todos e desfere o golpe.
Por isso tudo, quando eu pergunto "vai beber o que?" e a pessoa responde "o que você quiser" eu ergo os olhos do cardápio e fito o indivíduo rezando intimamente "que isso seja uma tentativa singela e genuína da mais pura gentileza".

terça-feira, julho 06, 2010

E deus disse...

 "Você pode ter a fé quer quiser em espíritos, em vida após a morte, no paraíso e no inferno, mas se tratando desse mundo, não seja idiota. Porque você pode me dizer que deposita sua fé em Deus para passar pelo dia, mas quando chega a hora de atravessar a rua, eu sei que você olha para os dois lados." - House

domingo, julho 04, 2010

Não é sobre futebol.

Eu não assisti a todos os jogos da copa até agora. Portanto não sei se isso já tinha acontecido. Mas de todos os jogos que assisti, no jogo de Brasil x Holanda foi a primeira vez que vi os capitães das duas equipes leram um discurso contra o racismo.
Não sei se a Holanda ser país colonizador da Africa do Sul tem a ver com a coisa, mas o fato é que me incomodou.
O apartheid foi (é) uma coisa odiosa e a luta contra ele, encabeçada por Mandela mereceu e merece todo e qualquer apoio mundial.
Apoio. Veja bem. Qualquer outra nação que se envolva deve apoiar às iniciativas deles. O país é deles. A luta é deles. O problema intrínseco e totalmente arraigado em suas origens e costumes são do seu cotidiano. Não cabe a uma nação visitante, totalmente alheia às suas mazelas, discursar sobre os problemas da casa.
Me pareceu, no mínimo, descortês.
Se na copa de 2014, aqui no Brasil,  neguim entrar em campo e fazer discursinho pra salvar a Amazônia eu proponho paredão. Fora do gramado, claro, que é pra não sujar a grama pro próximo jogo.

quinta-feira, julho 01, 2010

Ídolos

O assunto Michael Jackson, como era de se esperar, rendeu.
Tá na boca e no Ipod de todo mundo e o bombardeio de informações twittadas por aqueles que descobriram MJ agora e se deslumbraram é absurdo.
Pois é.
Eu adoro MJ. Assim como adoro Chico Buarque, Tarantino e Woody Allen. Isso não quer dizer que eu goste de tudo o que todos os gênios dessa listinha fazem. Tem filmes de WA dos quais eu não gosto, tem músicas do Chico que não curto, e filmes do Taranta que gosto menos que de outros. Desta forma digo que não gosto de TODAS as músicas de MJ embora reconheça sua genialidade em cada uma delas.
Quando ele pesa a mão na ecologia, por exemplo, eu acho chato e maçante. Mas minha cabeça pragmática considera uma boa idéia ações como We Are The World, que além de mobilizar as pessoas gerou recursos que esperamos tenham chegado ao destino.
Além do que, idiota seria eu se resolvesse "falar ao mundo" da minha janelinha de humilde blog.  MJ fala ao mundo mais que o Papa. Ele tem propriedade e meios. Mas eu continuo achando chato quando ele faz isso em nome de "salvar o planeta".
Eu sei que ele morreu e que os verbos acima deveriam estar no passado, mas a obra de MJ é vasta, consistente e tem qualidade suficiente pra ser redescoberta por infindáveis gerações futuras. Desta forma ele ainda fala e ainda faz.
A força e beleza de sua obra nos hits mais espetaculares falam muito mais que qualquer verso de salvar a terra e ver o brilho de deus.
Eu escolho a  força de Thriller e o encanto de Ben como assinaturas de um gênio louco, maravilhoso, controverso e eterno.
E adoro que meus ídolos sejam assim como são: imperfeitos e humanos.

segunda-feira, junho 28, 2010

Foi a camélia que caiu do galho...

A camélia do quintal está linda.
No vasinho da sala fica fofa.

domingo, junho 27, 2010

sábado, junho 26, 2010

Praticamente uma Irmã Campana!


Xu fazendo seus trabalhos de design. São módulos na proporção de 1:2.

quarta-feira, junho 16, 2010

Correio Elegante

Elaine - como vai a contagem? Atualiza pra nós se já passou de um dígito.
Dalva e Ana Paula - Eu também sou do tempo da Caminho Suave. Lembro até hoje dos desenhinhos da abelha, do bebê, do cachorro... uma delícia! Apesar de já ter entrado na escola sabendo ler e escrever, não me pergunte como, segui os passos tradicionais na escola: primeiro bastão, depois cursiva. Primeiro grafite, depois caneta. A primeira caneta aconteceu aos 9 anos e foi um rito de passagem.
Aline V. - Essa associação do analfabetização com a letra cursiva doeu em todos nós, né? muito me admira uma pessoa tão pródiga em credenciais como o educador do artigo, defender essa idéia. Por escrito.
Isa, minha frô! - saudade de um trago na sua companhia!
Lilica - meu único (cof! cof!) problema em ir pra europa é esse: cruzar o atlântico.
Claudim - compra rede. Anzol não! Sabe deus onde isso enrosca.
Madoka - Vc nem imagina o quanto é sério. Policiais impedindo o trânsito na ponta da rua. Coisa fina!

domingo, junho 13, 2010

Vejo flores em você!

Recebi essas flores lindas da Ju, no blog dela pelo Dia dos Namorados.
Amo você, Ju!

P.S. A Ju tem razão no que disse no comentário. Pelo que escrevi acima, parece até que somos namoradas! rararara.
Ó, nadinha contra, mas não somos não. Mas mesmo assim eu adorei as flores. E amo você.

terça-feira, junho 08, 2010

Quando eu ganhar na Mega vai ser assim...


Curitiba tem o Parque Barigui, que é onde a lagartixada vai tomar um solzinho, quando tem. Ao lado desse parque tem uma ruazinha onde só tem casa pra rico. Coisa fina.
Quando ia ao parque, eu voltava por essa rua.
Pois dias atrás, num fim de semana, tentando voltar por ela, tive a seguinte surpresa: rua bloqueada e com guardas de prontidão. Em fins de semana e feriados, somente moradores munidos de autorização escrita podem passar pela rua.
Tá certo. Certíssimo.
Imagine você que tem piscina aquecida no primeiro piso, sala de jogos e biblioteca de fazer inveja a Mindlin, lustre francês na sala de jantar e jardim projetado por Burle Marx, numa manhã de sábado abre a janela e vê UM POBRE????!!!!
Não orna.
Dou o maior apoio.

sábado, maio 22, 2010

Por água??

Pilotos de avião são de um mau-caratismo sem tamanho.
Assim que você se acomoda, desafivela o cinto e pega a revista, lá vem o comandante:
- Senhoras e senhores, estamos voando a 32 mil pés de altitude, altura equivalente a 9 mil e 800 metros...
QUEM PERGUNTOU?!? Alguém, me diga, alguém quer realmente saber a altura daquilo?
Outra prova irrefutável de mau-caratismo latente dessa corja é a sua fixação por água.
É bom que se diga, nesse ponto, que tenho pavor de água. Concentrou mais de mil litros, tô fora.
A Fal disse que, na água, ela é que nem peixe. Eu também. Só saio se alguém tirar.
Então.
E os nobres comandantes, não contentes em voarem numa altura absurda, ainda fazem o percurso todo POR ÁGUA!! Vôos de São Paulo a Curitiba os féladapóta vão por cima do mar!!
Trace uma reta entre Sampa e Curipa. Viu?? Passa pela água Senhor Comandante??
Não conformo.
Tão achando bobagem? Tá. Se o avião cair na terra, pronto, cabou-se. Se cair no mar, quando tocar a água, nossos problemas estarão apenas começando.
Tirante o fato de que o National Geografic descobre um bicho novo por dia no fundo do mar e cada bicho novo encontrado tem uma perna a mais, vou contar mais uma coisinha que talvez você não saiba: sabe o tal do banco flutuante? É lenda. Aquilo não sai fácil, não. Você já tentou? Eu já. E não consegui. E chave de fenda ninguém deixa levar, né?
Então, todo um universo conspirando contra e o diabo do comandante encerra o vôo com mais uma gracinha: Sejam bem vindos a Curitiba! Garoa fina e temperatura a 8 graus. Divirtam-se!
Tomara que o zíper da mala dele emperre.

segunda-feira, maio 17, 2010

Post longo. Tá avisado.

A @bolsinhaprada levantou essa lebre no twitter e isso me icomodou muito.
Ainda não sei se movida por preconceito ou medo que a mudança sempre acarreta, mas, o fato é que fiquei muito incomodada com  a coisa e resolvi rascunhar um texto na tentativa de clarear as idéias e verificar se meu incômodo tem fundamento.

Saiu uma matéria na Folha de São Paulo com educadores defendendo que a letra cursiva deveria deixar de ser obrigatória nas escolas.
A matéria está aqui http://www1.folha.uol.com.br/folha/educacao/ult305u736314.shtml e eu vou tentar entender o que me incomoda tanto nisso tudo.

A matéria cita, em primeiro lugar, Piaget e o seu método Construtivista como fundamentação. Eu fiz magistério (veeelhhhaaaa), estudei Piaget e dei aulas em escola que trabalhava com o método Construtivista para o ensino fundamental e não consigo entender a relação. Para Piaget, a abordagem construtivista ajuda o educador a pensar o conhecimento científico a partir da perspectiva de quem aprende. E nesse caminho, toda a forma de expressão tem valor. Se o aluno se expressar na escrita de forma cursiva ou de bastão, isso tem muito pouca e até nenhuma valorização na avaliação dessa expressão, pois, para Piaget, o educador deverá valorizar e estimular no aluno, acima de tudo, a construção do seu pensamento. Mas isso não exclui, de forma alguma, nenhuma etapa do caminho do aprendizado nem limita e despreza qualquer forma de expressão.
O saber científico existe, assim como suas formas de expressão. E  Piaget não nega nenhuma delas. E a forma escrita, de maneira cursiva, é uma forma de expressão do conhecimento e portanto o construtivismo abraça essa expressão e não a trata como desnecessária ou obsoleta.

Entendo perfeitamente a professora da UFMG que defende no artigo que "No momento em que a criança está descobrindo as letras e suas correspondências com fonemas, é importante que cada letra mantenha sua individualidade, o que não acontece com a escrita "emendada' que é a cursiva; daí o uso exclusivo da letra de imprensa, cujos traços são mais fáceis para a criança grafar, na fase em que ainda está desenvolvendo suas habilidades motoras".
Por esse motivo é esse o método aplicado por  todos os educadores de ensino fundamental. A criança é alfabetizada em letra bastão (de forma) e passa a aprender a caligrafia cursiva durante o processo.

O artigo ainda passa pelo argumento da tecnologia dizendo que a letra de imprensa já avançou sobre a cursiva e outra pedagoga tem a coragem de dizer que a letra cursiva é responsável pelo alto nível de analfabetos no país:  "Acho que ela [a cursiva] é uma das responsáveis pelo analfabetismo em nosso país. As crianças além de decodificar o código da língua escrita (relação fonema/ grafema) têm também de desenvolver habilidades motoras específicas para "bordar' as letras. O tempo perdido tanto pelo aluno, como pelo professor com essa prática, aliada ao cansaço muscular, desmotivam o aluno a aprender a ler e muitas vezes emperram o processo".

Não vou fazer nenhum comentário sobre o baixo índice de acesso a computadores na idade de alfabetização num país de 180 milhões de habitantes pois acabo de descobrir, com esse último argumento, o que realmente me incomoda.
É o nivelamento por baixo.
Diante da incapacidade do indivíduo de lidar com suas próprias deficiências, tendemos a nivelar por baixo. A fazer concessões. Buscar a excelência não é difícil. Mas é muito trabalhoso. E, principalmente, demanda tempo. E tempo mais trabalho duro são coisas que muito poucos educadores se dispõem a oferecer.
Se ninguém mais passa no vestibular por conta da redação, eliminemos a redação.
Se o indivíduo chega ao final de uma faculdade de Direito sem saber construir um texto, ele faz um cursinho caro que resolve tudo.
Se a criança está com dificuldade de assimilar os significados e construir seu pensamento crítico, eliminemos a expressão escrita na sua forma cursiva. Isso deve resolver tudo. 
A dificuldade de aprendizagem das crianças em fase de alfabetização passa bem longe da necessidade de eliminação da caligrafia cursiva.
Isso é apenas um efeito make up num problema arraigado na base da nossa própria deseducação.
Mas atacar o problema, de fato, é outro assunto, para outros textos de outras personas de letras e saberes que não domino.
Aos educadores que têm como função pensar o país do ponto de vista de seus educados, não façamos concessões absurdas em nome de uma adequação imediata a tantas crianças que merecem um segundo olhar, bem mais atento, sobre suas dificuldades.
E àqueles miserável que, movidos por tantas concessões, nunca leram um livro na vida que não fossem aqueles exigidos na escola, meus pêsames. Você perdeu o bonde e ele não volta a passar na sua rua. Nunca mais.
E, principalmente, fique bem longe de mim.

Zás Trás!

Restos de ovos de páscoa
meia xícara de vinho branco
1 colher de manteiga
1 xícara de creme de leite fresco

Depois do chocolate ser dissolvido em banho maria, acrescentei os demais ingredientes, na ordem acima e despejei ainda quente sobre os morangos.
Sobremesa manjadíssima, mas deliciosa.

domingo, maio 16, 2010

Pérola de Marketing

O que significa?
Nós tentamos. Cuidamos do seu dente, do seu chulé e da sua saúde.
Mas se nada disso funcionar, nós te enterramos ou cremamos com estilo.
É do Vaticano direto pro céu!
Sem contar que "plano familiar" e "Vaticano" na mesma frase é uma pérola, né?

sexta-feira, maio 14, 2010

domingo, maio 09, 2010

Feliz Dia das Mães!

Filhinhos em casa, flores pela casa, dormir até tarde e vagabundear total. Não tem preço.
Dica: canecas fofas que, além das utilidades básicas, servem como vasos de flores: 1,98 cada no Mercadorama.

terça-feira, maio 04, 2010

Telefone sem fio

Então, gente.
Estes dias eu falei que bêbado tem que ficar longe de qualquer mídia pois senão faz merda.
Gente bêbada não pode, de jeito nenhum, operar email, celular, twitter, escambau.
Pois saibam que acabo de descobrir, do pior jeito possível, que gente lerda e velha como eu, também não pode operar nenhuma dessas mídias se não for com muuuuita tranquilidade.
Atarefada e cheia de coisinha nova das internéte pra aprender, a pessoa aqui passou o seguinte email para familiares:


Galera

Esse dia das mães vou conseguir juntar os 3 moleques. A Xu, quando se junta cos irmãos é moleque, tá decidido.
O Tiago e o Hugo não se encontram desde o Natal de 2008.
Então eu queria propor fazer um almoço de dia das mães no sábado pra deixar o domingo só pra vagabundear. Que tal?
Vocês tem compromisso pra sábado? Podemos marcar um almoço no quintal para sábado a partir das 13 horas?

Aguardo as respostas.

bejo

Seria um singelo email destinado aos meus filhos e à família do meu irmão se eu não tivesse, por uma manobra infeliz, imprudente e totalmente imperita, incluído, sem querer, (foi sem querer, eu juro!!)  toda a caixa de emails do Ateliê.

Ou seja, todos os clientes cadastrados no email do Ateliê receberam o email convidando para o almoço, numa linguagem, digamos assim, bem coloquial.

As respostas não demoraram a chegar e até agora já computei 45 pessoas confirmadas para o almoço. Metade disso ameaçando trazer a sogra. 

Como se não bastasse, aquela vaca da Fal me manda isso:

Querida Suzi, eu e as menina aqui do projeto ficamos besta com seu convite.
como nem todas vê o e-mail, avisei elas e daí que a Aucilene vai cás 3 criança, a Juraci vai levar o marido, o Jurandir, e o fio, o Jubileu, a dona Ermínia não tem família, coitada, mas ela vai levar aquele moço do gás tão bonzinho que ajuda ela arrasta móvis todo sábado (ela tem locura por decoração, a dona Ermínia), o seu Elias vai levar a dona Ismênia e vai mais eu, o Pedro Paulo, a Sabrina Louise, e o Robinsô. Ah, e o pessoal da egreja, né, 47 pessoas.
Inclui nóis na lista, tá?
Té sábado.
Janéte

ps: pra não ficar muito pesado pra você, nós se cotazimo e ompramo 10 caxinha de BIS lá nas Americana.

Isso é uma idéia do que eu estou tendo que aturar.

sexta-feira, abril 30, 2010

Chuchu recheado com champignon

Atendendo ao pedido da Madoka, aí vai a receita incluindo champignon.
Confesso que eu a Xu gostamos de comê-los na salada e é assim que devoramos aquele pacote que aparece no post da feira ali embaixo, quase todo.
Mas quando a Madoka pediu a receita, fiquei com vontade de aproveitar o restinho que havia na geladeira e preparar um almoço leve pra mim e pra Xu, já que nas sextas ela tem aula somente de manhã e eu tenho a companhia da fofa para o almoço.
É um prato simples, não carece nem de receita. Por isso fotografei alguns passos e vou dizendo o preparo e cada um faz as adaptações que tiver vontade. Eu já digo que sou péssima em informar medidas e quantidades e as que usei foram pra preparar duas porções. Eu usei chuchu, mas com batata fica genial.
Vamos lá:
Ingredientes para 2 porções:
1 chuchu descascado e cortado ao meio
1 raminho de ervas. (manjericão, manjerona,alecrim, salsa, coentro... o que preferir. Eu usei manjericão)
1 cebola pequena
3 dentes de alho
1 xícara de chá de champignon
1 xícara de chá de tomate picado. (eu só tinha do cereja e foi ele mesmo)
queijo parmesão ralado
1 colher de manteiga
azeite
sal

Afervente o chuchu em água com sal e o raminho de ervas. Não deixe amolecer demais.

Enquanto o chuchu está fervendo na água com sal e ervas, frite os 3 dentes de alho em óleo bem quente.
Assim que dourar, retire e deixe reservado.


A seguir, verifique se o chuchu já está "al dente". Não sei quanto tempo. Ele não pode estar mole. Só uma aferventada pra pegar tempero e não ir ao forno cru.  Corte a parte interna do chuchu, fazendo um buraco pra pôr o recheio.
Esta parte que vc cortou fora, pique em pedacinhos pra incluir no recheio. Não precisa jogar fora.

Numa panela doure a cebola picada na  manteiga, acrescente o alho frito picado, os pedaços de chuchu que você retirou do miolo, os tomates picados, o champignon, acerte o sal e desligue o fogo.
Recheie o chuchu com esse molho, cubra com queijo parmesão e um fio de azeite e leve ao forno.
Eu servi com uma salada de chicória roxa, alface crespa, grão de bico, tomatinho cereja, queijo minas e folhinhas de manjericão. Temperada com sal, azeite e balsâmico. Com um suquinho de maracujá, ó, ficou delícia.

Bom apetite!

quinta-feira, abril 29, 2010

Bagagem

Com a preparação do novo site e todas as mudanças que isso envolve, venho pensando muito em processo.
Nunca começamos nada do zero. A cada guinada que fazemos na vida, carregamos conosco todas as experiências acumuladas ao longo dela.
Somos o resultado das nossas escolhas e não-escolhas, das nossas leituras, dos filmes que assistimos, das impressões deixadas por pessoas que passaram por nossas vidas, da arte que apreciamos, dos risos e bobagens trocados em grupo, do choro contido, do choro chorado, das tentativas fracassadas, dos poucos acertos, dos prazeres adquiridos e gostos abandonados. A cada novo projeto, todas essas experiências se apresentam como matéria prima a forjar um novo caminho. Que nem é tão novo assim.
Ao começar um novo projeto, tudo que apresentamos é apenas o resultado de um processo. Cuja qualidade será sempre proporcional à riqueza de nossa bagagem. E é aí que me pergunto: estou satisfeita com o que eu trouxe até aqui?

terça-feira, abril 27, 2010

Feira

Delícias do mercadão:
Chicória italiana
alface roxa
alcaparras
champignon
castanha de caju
filé de linguado
morangos
tomate seco
e feijões coloridos que não posaram pra foto.

sábado, abril 24, 2010

Correio Elegante

Aninha, pros caras sem noção e aos adeptos da barulhada eu proponho castração.
bejos

A Tabuleta da velha

Se eu tivesse uma oportunidade única de escolher uma forma de melhorar geneticamente a humanidade e livrar o mundo de aporrinhações, ao simples apertar de um botão, não teria dúvidas: acabaria de vez com os chatos.
Estes se multiplicam como baratas e se proliferam em todos os segmentos sócio-econômicos e culturais.
O chato consegue transformar  uma ciência séria, por exemplo, a ecologia, numa babaquice-chata-monstra tamanha que tenho ganas de esfolar o sujeito na fila à minha frente portando a camiseta: “vamos salvar o planeta”.
Parafraseando o @catarroverde  ´Se tiver adesivo "o planeta agradece", enxugo a mão com seis folhas´ .
Minha paciência com chatos em geral é zero.
O chato não procura aprender, ele já sabe.
O chato não te conta nada, ele ensina.
O chato repete sempre as mesmas piadas.
O chato não se acha. Ele se tem certeza.
Isso tudo é só pra dizer que acabo de redigir o texto da plaquinha que vou mandar fazer pra botar em baixo da campainha do portão:

Se você veio me vender o que quer que seja, se veio falar de qualquer religião ou partido político, NÃO SE ATREVA A APERTAR ESSA CAMPAINHA!

A Xu diz que estou me transformando numa velha eremita que em breve vai se mudar pro mato numa casa com porteira beem longe onde a família vai deixar comida numa cesta e tocar o sino. Mentira. A comida poderá ser entregue pelo supermercado e poderão me avisar por mensagem de twitter ou sms. Que absurdo!

sexta-feira, abril 23, 2010

Arrumando o Bazar...



Até amanhã tudo arrumadinho.