domingo, outubro 04, 2009

Salve, Kant!

Aprendemos na faculdade de Direito que direito e moral são dois campos distintos que, às vezes, convergem. Ou seja, nem tudo que é moral é direito, mas tudo que é direito é moral.
Esqueça todas as conotações pejorativas e rançosas que carregamos a respeito da palavra moral e tente limpá-la de todo preconceito.
Moral é aquilo que nos impele ao dever de maneira voluntária. Aquilo que acreditamos como correto sem que nenhuma norma ou sanção nos obrigue a fazê-lo.

Leio por aí que a comunidade artística mundial de maneira geral e a cinematográfica de forma específica vem se esperneando contra o mandado de prisão do Polanski.
A acusação é sexo e drogas com uma garota de 13 anos décadas atrás nos EUA.

Sexo é cultural. Não existem regras quanto à forma de praticá-lo e somente duas coisas podem ser consideradas imorais na sua prática, em qualquer lugar do mundo: transmissão de doenças e sexo com menores.
Polanski deixou de levar em consideração a monstruosidade do fato e já li por aí que alegou diferenças culturais. Agora, a comunidade artística alega, inclusive, que já se passaram muitos anos e a coisa deve ser esquecida.

Vejamos se entendi:
1- Polanski não deve ser punido pois já faz muito tempo;
2 - Ele não sabia que era crime quando transou com a menina (e usaram drogas juntos)
3 - Ele é o Polanski, e grandes artistas não devem ser atingidos por coisas mundanas como normas jurícas por exemplo.

É isso?
Interessante.
Na minha total inadequação ao mundo em geral acredito que a punição ao caso nada mais é que o ato consequente, que a imoralidade do ato independe de regras formais impeditivas e que as normas que regem a sociedade não deviam fazer distinção de qualquer espécie.

Digo mais: acredito que sexo consentido e desejado entre duas pessoas adultas é uma deliciosa forma de praticar a doutrina de Immanuel Kant. Capítulo por capítulo.

Viram como eu sou velha?

2 comentários:

Ana Paula disse...

Aplaudo e corroboro, vamos pro asilo de velhinhas juntas.

Fiquei enojada com uma declaração dele, dada agora, de que afinal de contas a garota já tinha experiência sexual anterior e topou de livre e espontânea vontade a "brincadeira", o que o isentava de qualquer responsabilidade.

Blergh.

Luci disse...

meu dia começou com um soco no estomago com um video atroz sobre animais.
desde ontem eu tenho pensado no Polanski - sim, Suzi, eu sou besta o bastante pra ficar divagando - e seus valores (ou na falta deles) e reconheço minha incapacidade mental.
e a pergunta que me fiz foi a mesma sua, quer dizer que o tempo apaga tudo? então podemos colocar no mesmo panelão Polanski e Hitler e tudo fica certo?!
hoje fiquei um pouco mais descrentes dos homens.
beijo