segunda-feira, outubro 05, 2009

Porque tem dias que Adélia fala por mim.

Um minuto de estrondo à idade reencontrada. As taças para o brinde, porque hoje sou de novo uma mulher com sutiã grená, polindo os dentes sem pressa e desenhando a boca em coração. Basta, nem só eu respondo pela fome do mundo, e vou certificar-me: se ainda me olham duas vezes, se ainda intimido, se pelo que amo ainda faço a face dos homens abrandada e ansiosa. Enquanto dura a trégua, vou guerrear.

Adélia Prado.

Um comentário:

Luci disse...

e fala muito bem.
Suzi,
a imagem diz tanta coisa de vc...
beijo