terça-feira, setembro 29, 2009

Correio

"Usar pente no bolso da camisa" é sinônimo de:

- "maltratar meninos de semáforo"
- "discípulos de Dale Carnegie"
- "doutrinadores"
-"calça de tergal com camisa e cinto"

Meu Deus, quanto mais eu consigo ser canalha?

La Fontaine ou Freud?

Tenho reparado que, ultimamente, na tentativa de organizar o caos da minha vida, boto as coisas em seus lugares, penduro prateleiras, separo por cores e divido espaços.
Percebo nisso que o que me fascina é o processo.
Sou a formiga, é fato.
Percebo também que na leitura venho priorizando biografias há décadas. Me interessa mais a construção do pensamento em detrimento da idéia acabada.
Constato isso no dia a dia quando visito de manhã minhas rúculas semeadas botando as folhinhas pra fora da terra e suportando bravamente o excesso de chuvas. O crescer, o sobreviver, o construir é o objeto do meu interesse.
Quando fiz curso de teatro, depois de passar por todas as formas do fazer teatral escolhi a coxia ao invés do palco. O estudo e construção da iluminação e a cenografia me pareceu muito mais interessante que o proscênio.
Não quero nem pensar no que isso revela sobre mim. Mas é fato.

Correio Elegante

Ivan, Wall.E é a coisa mais foooofa de toda a galáxia. Sou tiete da Pixar. E o desenho extra do robozinho soldador também é demais. Recomendo dicumforça.
Sobre as bobagens em fluxograma, eu adoro. Pode mandar em inglês que embora eu não esteja no nível dos tradudores-ninja-poliglotas-best-insuportáveis vide você, Elaine e Fal, eu estudo direitinho e ler é uma das coisas que mais dou conta.
Manda no email suziarrobaatelieacessoriospontocompontobr.
bejos
Suzi

segunda-feira, setembro 28, 2009

Várias vezes do mesmo


- Você já levou esse filme duas vezes.

- Eu sei.

A locadora sempre avisa. Mas eu sou do tipo que assiste várias vezes.
E eu amo o Wall.E.

Amo muito tudo isso


domingo, setembro 27, 2009

Coisa boa


Sorvete Hageg Dazs chocolate belga.
Pra fechar o domingo com coisas boas às colheradas.

Pontuando

Elaine esteve aqui com um casal amigo e fizemos alguns passeios juntos.
Fomos ao Crossroads, lugarzinho que eu gosto aqui de Curipa, e me diverti vendo uma molecada em uma mesa cuja média de idade não passava de 18 anos cantando junto todas as letras dos rocks 70', 80' e 90'. Que alívio. O que é bom fica.
....
Acabo de assistir Gran Torino e é o seguinte: não tem mais volta. O velho Clint tá cada vez melhor.
....
Fala do filme, do Clint, claro: "Pensei que o frio manteria os idiotas longe". Me identifiquei horrores. Sorry. hohohohohohho

quarta-feira, setembro 23, 2009

Parentesco

Extremamente importante é o primo besta de fundamental.

Apreciem o belo!



É Carla San na área.

Confiram!

terça-feira, setembro 15, 2009

Vou num pé e volto noutro

Vou pra Argentina na quarta e volto no sábado.
Até lá, visitem a lujinha, faça a listinha e me passe por email.
Eu atendo tudinho.
beijos!

quinta-feira, setembro 10, 2009

Considerações pós obra

Comé que engenheiro faz prédio, meu pai?
2 armários e 4 prateleiras pra instalar. Medi, marquei, usei trena, prumo, nível!!!!(morram de orgulho Ana Paula e Claudim!), marquei com lápis e tudo, quase desenhei as bichas na parede e 2 ficaram tortas e tiveram que ser recolocadas!
E toca retirar prafusos, furar a parede de novo, retocar pintura. Minha nadamolevida.
...
Nota: não usem fita adesiva parda pra fazer as bordas da parede que irá ser pintada. Ela mancha. Tem que ser aquela branquinha, a fita-banana.
...
Teve martelada no dedo, sim senhor.
...
Tive que contar com ajuda masculina pra reforçar todos os parafusos que coloquei pois não consegui ajustar nenhum até o final. E fiz tanta força que meus braços ainda dóem.
...
Mas gostei tanto do resultado que já estou com novas idéias. Mas vão ficar pra daqui a algumas semanas pois atrasei ainda mais todos os trabalhos que já estavam pelo pescoço.

Correio

Elaine, Isa, Lyra e Fal: obrigada, eu também acho que ficou fofo.
...
Claudim, taca a peãozada pela janela. Manda a fota que eu palpito. Palpitar é minha arte mor. Embora eu saiba que você faz melhor e sempre.
...
Ju, minha habilidade é puramente visual. Até tenho curso de cenografia e iluminação teatral, que me ajuda numas paradinhas, mas, o projeto mesmo eu faço é na cabeça e na maioria das vezes já executando. Estudei um pouco de teoria e efeitos da cor em cenografia, mas quando decido uma cor, não tenho em mente nada (ou penso que não) dos efeitos daquela cor sobre humor, energia, o escambau. É sempre o bom e arbitrário critério do "gosto ou não gosto" que decide a coisa. Simetria, cores, contraste, equilíbrio, nada é pensado. Tudo ajeitadinho de acordo com o que acho que fica bom onde.
A cor da parede, que é da Coral aliás, foi decidida na loja, e todo o resto partiu daí. Tenho capacidade grande de improvisação e gosto de ver tudo que tenho à disposição primeiro pra depois partir pra montagem.
Por tudo isso e mais um pouco, acho que não sirvo pra dar pitacos em decorações alheias não.
A não ser que a pessoa viaje e só volte quando estiver pronto. Pois, durante o processo nem eu sei como vai ficar.
...
Mas, se vc estiver disposta a correr o risco Luci, bota água no fogo pro café e me chama!

quarta-feira, setembro 09, 2009

Cada coisa em seu lugar

Imagine a parede acima branca e sem nada pendurado nela.
Era assim até domingo.
Aí que encontrei esses dois armários de alumínio no porão e baixou o bicho carpinteiro.
Eu deixava a oficina de produção de bijus junto com as peças no Ateliê. Daí que cada vez que eu fazia um bazar tinha que arrumar tudo, tirar as peças de montagem de lá. uma trabalheira danada.
No último bazar que fiz, eu trouxe toda a minha produção pra minha sala de jantar. Essa aí acima. Logo em seguida vieram as férias dos meninos com muito frio e chuva e eu não quis devolver a produção lá pros fundos pra poder ficar mais junto das crias.
Descemos sofás, TV e DVD pra sala de jantar e aquilo virou um fuá.
Gostei de trabalhar no meio de todo mundo, vendo filmes e novelas enquanto produzia ou trabalhava no computador.
Mas aquela bagunça estava me incomodando.
Vcs não imaginam como é a bagunça de produção. Fitas, lãs, bolinhas, argolinhas e tecido pra todo lado. Isso tudo junto com cobertas, pipocas e filmes tava uma zona.
Elaine esteve aqui no meio do furacão num dia de chuva e fio, coitada, e teve uma mostra do inferno.
Então que resolvi arrumar. Deixar a área apta a receber os pimpolhos, trabalhar e comer, mas com alguma dignidade e ordem.
Comecei pelas compras. Abafa. Gente, loja de materiais e construção e decoração não é lugar de pobre. Suzi Márcia ficou quase doida e comprometeu o orçamento do mês em tintas, prateleiras e caixas coloridas.
Pintei a parede de amarelo "Explosão de estrelas", furei parede, pendurei prateleiras e armários, racionalizei as peças: o que tem bastante deixei só um pouquinho na bancada de produção e guardei o resto no estoque.
Modos que fiz caber tudo na parede que vocês estão vendo.
Nas caixas abaixo tem as lãs, as linhas, as fitas largas de seda, voil e cetim, as agulhas de tricô e os tecidos.
Nas prateleiras têm as peças de montagem de bijus divididas por cor, tamanho e formato.
Dentro do armário da esquerda tem as fitas de cetim estreitas, etiquetas e arames. Em cima dele vidros de botões e vidrão com restos de fitas.
Dentro do armário da direita tem estoque das peças que ficaram em pequena quantidade nas prateleiras brancas e estoque de pérolas de vários tamanhos e formatos. Em cima do armário coelhinho que abriga bolas de madeira, pote com restos de correntes, caixa com flores de tecido e lata com pequenos botões.
Agora a sala está arrumada e pode receber melhor, inclusive, as visitas.
E, de quebra, ainda deu pra pendurar um quadro que a Carol e Hugo fizeram pra mim quando eles tinham 11 e 12 anos.

domingo, setembro 06, 2009

Momento Janete Clair

Julho/agosto fez muito frio e chuva em Curitiba.
Foi também o período de férias dos meus filhos, período que acabou se estendendo por conta da gripe suina.
Por conta disso, desmontei a produção do Ateliê lá dos fundos e trouxe para sala de jantar que acabei transformando em sala de TV e vídeo também para ter a companhia dos filhos por mais tempo.
Trabalhamos e assistimos tudo junto, entre fitas, lãs, contas e computador. Um dos programas lights ótimos de se ver enquanto trabalha é a novelinha das 6.
Paraíso é um remake, a original dos anos 80.
Acompanho agora, com aflição, o dilema atual de Maria Rita, a mocinha.
Dilema de proporções imensas, sobre-humanas.
Imaginem que a pobre mocinha tem sobre si a obrigação funesta de decidir por um dentre os mancebos abaixo.
Eu, de mim, já digo que declinava da tarefa.
Fazia ali uma conferenciazinha, articulava, conchavava o que quer que fosse pra manter todo mundo na jogada.
Escolher um, gente?
É demais. Pobre Maria Rita!

Zeca

Otávio

terça-feira, setembro 01, 2009

Antes e Depois - Festa na Roça!

Final de inverno já viu né? O quintal estava naquele estado:galhos secos amontoados, mato crescido, grama sumida
canteiro de temperos totalmente falido, tiririca por todo lado, fungo no alecrim....

olha o viço do matagal!



vasinhos vencidos, afogando em mato...



galhos secos amontoados da última poda da árvore. Depois de tanta chuva vocês não têm noção do tamanho das lesmas que eu tirei daí de baixo.

lástima...

isso aí tudo é mato e grama tirados do quintal
Agora veja a diferença:







florzinhas novas...


graminha aparada, sem mato


quiabo semeado no vaso (adoro quiabo!)


alecrim, manjericão, sálvia, hortelã e tomilho

cebolinhas

mais manjericão

moranguinho pros passarinhos (eles comem todos!)


Do lado direito da babosa semeei rúcula

Geral do canteirinho
Ufa!