terça-feira, dezembro 30, 2008

Manual de Sobrevivência em Família

1 - Finja-se de surda. Se o artifício não basta para preservar sua paz de espírito preserva pelo menos os dentes da frente do seu irmão.
2 - Ao se deparar com a última da sua mãe controle o desespero. Darwin, minha cara: não importa de onde viemos, o que vale é para onde fugimos. Algo assim.
3 -Separe o seu grupo familiar em categorias e decida qual delas pode frequentar sua casa. Ou não. Caso coincida duas pessoas de categorias diferentes no mesmo núcleo (casados, por ex.) lime. Não vale a pena aguentar mala por conta de um cônjuge simpático.
4 - Eleja uma resposta padrão a comentários desagradáveis e/ou inoportunos, qualquer que seja, e aplique sempre com a mesma entonação. Fama de maluca você já tem minha cara, só o que vai acontecer é o cara ficar apatetado por alguns segundos. Já é um ganho. Sugestão de frase: "Há um lugar diferente lá depois da saideira." Tenho outra na algibeira: "Cidinha Calça Frouxa: Chupa-se, mete-se e dá-se o cu" mas devo dizer que só uso em casos extremos.

Por enquanto só passou o Natal né? Guenta aí que depois do Ano Novo a coisa se expande.

2 comentários:

Alline disse...

Suzi, eu te imploro. Qdo vc me ver em março me diz em alto e bom som a frase da Cidinha?
Cara, eu tô me mijando de rir.
Eu uso como desculpa pra tudo a seguinte frase: "Não posso, meu cabelo tá ressecado!"
Seja pra ir num jantar chato, numa festa animada que eu não tô a fim ou pra alguém parar de conversar comigo. O povo pensa que sou doida e pronto, fim de papo.
Beijos, feliz 2009!

Ana Paula disse...

Suzi: vc, Alline e Mani são a Santíssima Trindade da minha adoração (putz, agora vai ter nego aqui te excomungando e a mim também).
Adorei as dicas. Serve pra reunião de trabalho também?