segunda-feira, novembro 17, 2008

Objetos de desejo que nunca terei

A casa era de madeira sem pintura. E eu sonhava com uma casa colorida.
A casa era nos fundos de uma oficina. E eu sonhava com uma casa com portão e jardim.
As outras meninas tinham lápis de cor enormes, intermináveis, numa cartela de 36 e os meus eram pequenos em caixas de 6 cores.
A Heloisa tinha um guarda chuva de plástico transparente com cerejas desenhadas nas bordas.
A Marcela morava na rua da escola e tinha um irmão que levava pra ela um copo de vitamina de abacate na hora do lanche.
O Miro tinha uma coleção de gibis e podia ler na sala da casa dele.
As crianças da rua jogavam bets mas eu só podia olhar pelo vão da cerca.

3 comentários:

Ana Paula disse...

E olha onde vc chegou agora! O que será que essas outras crianças desejavam e que também nunca tiveram, nem terão?
Essas coisas que a gente não teve impulsionam a gente pra frente, não tenho nenhuma dúvida.
Mas eu entendo o que vc diz, eu também tenho minha listinha de objetos que nunca terei, cujo encanto e "necessidade" ficaram lááá atrás, quando eu também, de certo modo, espiava pela fresta da cerca...
Te amo, beijos

Dalva M. Ferreira disse...

Que dozinha!

Odessa Valadares disse...

Todas tivemos nossos objetos de desejo, Suzi. E foram eles que nos fizeram batalhar pra crescer.

Engraçado: eu desenho até hoje, tenho condições financeiras e nunca comprei a tal coleção com 36 lápis da Faber Castel. (Ainda se fabrica?)

De onde eu deduzo: realize seus desejos tão logo que puder. Você muda e os desejos também.