domingo, outubro 26, 2008

Nunca te vi...

Eu tinha 7 anos e vivia no interior do Paraná.
Só soube do fato muitos anos depois.
Toda vez que imagino a cena eu choro.
Dom Paulo Evaristo Arns abre as portas da catedral da Sé para um culto ecumênico em homenagem ao jornalista (judeu) morto pelo regime: Vladimir Herzog.
Causa oficial da morte: suicídio.
Sob a mira de centenas de soldados postados ao redor da igreja, com ordens de metralhar ao primeiro grito, cerca de oito mil pessoas comparece e se espalha por toda a igreja e escadarias.
Entre 20 sacerdotes e um rabino, Dom Paulo abre o sermão:
"Ninguém toca impunemente no homem, que nasceu do coração de Deus para ser fonte de amor".
A grandeza e coragem do gesto me toca profundamente.
Jamais compartilharei de sua fé Dom Paulo. Mas gostaria de ter tido a honra de te chamar de irmão.

4 comentários:

fal disse...

vc é linda, suzi.

Ana Paula disse...

Putamerda, Suzi, tinha que me fazer chorar também?

Dalva M. Ferreira disse...

Chorar eu não choro não. Mas que dá uma baita de uma raiva, isso dá. Os caras têm que pagar e é dobrado, cada lágrima rolada...

Alline disse...

amor,faço coro com a Fal. Vc é linda.