sexta-feira, agosto 29, 2008

Caixeiro Viajante

Viajo pra Sampa domingo.

Quem quiser algo do Ateliê, bijouteria ou linha casa pode pedir no email suziarrobaatelieacessorios.com.br que eu levo, sem frete.
Prometo à Fal:
. não levar mala
. ser discreta
. não fazer do lançamento do livro uma feira
...................
Acho que pelo menos duas das promessas acima eu sou capaz de cumprir.

terça-feira, agosto 19, 2008

segunda-feira, agosto 18, 2008

Primeiro Mandamento Corporativo

Sabe email? Então...
Antes de enviar, dê uma olhada nos desnatários e cheque se a mensagem se aplica a todos eles.
Depois de clicar em "enviar" nao adianta correr feito uma louca para a caixa de saída e quase arrebentar o teclado tentando deletar a bagaça ao descobrir que o cliente que você chamou de bandido está na lista, viu?
Vai por mim...

Garantindo o uisquinho das creonças



Vocês estão ligados que tem coisa nova, né?
Pois então...

domingo, agosto 17, 2008

Lavou, tá novo.


Todo sofá de capa removível e lavável que eu conheço é caro.
Inacessível ao público que realmente precisa de um sofá com capa removível e lavável.

Quando eu fui gerente comercial de uma indústria de estofados eu briguei por isso.

Reparem: nas Casas Bahia e outras do gênero, não existe um sofá de capa removível e lavável que custe menos que 1.500,00. Pode procurar.

Com esses argumentos e muitas pesquisas eu cheguei ao protótipo de um sofá que tenho na sala até hoje. Com capa removível lavável, simpático e barato.

Saí da empresa pouco depois, mudei de cidade fui fazer exportação, o dono da industria vendeu o negócio, foi também fazer outra coisa e nao sei que fim levou o projeto.

Agora me digam: que sentido faz fabricar um sofá com capa removível a uma clientela que vai trocar a po**a do sofá todo ano?
Não é o mercado popular que precisa do produto?
....
Acho que a TPM já chegou.

Em dia tá dificil, mas a gente tenta...

Matei mais um da pilha.
Fiquei com vontade da Espanha.
E Cemitério dos Livros Esquecidos é uma delicia, não?

Sonho

Sonhei que a Madonna estava aqui em casa e se encantou com um livro do Érico Veríssimo. (Vai vendo...)
Detalhe: eu vi o livro na mão dela mas não sei qual é.
Ela perguntou se ele era o maior escritor brasileiro. Avessa que sou a este título "the best" fui logo dizendo (com alguma ufania e muita petulância, reconheço) que o Brasil não tem um escritor "the best" mas uma lista deles.
Daí que a loura queria que eu fizesse um comparativo entre o Érico Veríssimo e algum escritor Norte Americano. Ele se compara a quem nos EUA?
Pensei, encuquei, matutei e o único nome que conseguia lembrar no sonho era Bernard Shaw(!!!??), que nem americano é.
Acordei afobada e deixei a loura sem a preciosa informação. Mas deixestar, vou pesquisar e enviar pela assessoria de imprensa da coitada pois isso não se faz a um vivente.
...
E todas as minhas drogas são lícitas, tá? Incluindo a novela das oito.

sexta-feira, agosto 15, 2008

Se eu não falar eu grito

Sei que a jurisprudência já vem corrigindo este absurdo há décadas e que, contrariamente ao que diz o Código, os filhos que já atingiram a maioridade civil continuam fazendo jus ao recebimento de alimentos (meu deus como detesto este termo!) até terminarem a universidade.
Não é do aspecto jurídico de que falo. Falo da capacidade de um progenitor (sim, nada mais que isso pois paternidade/maternidade é exercício, não cargo vitalício adquirido) de declarar em juízo que não tem mais nenhuma obrigação para com os meninos, em face deles aliás, pois já completaram 18 anos.
Meninos que nunca choraram a noite quando bebês.
Meninos que se sentavam no sofá da sala dos outros e só se levantavam com ordem de adultos. Meninos que entravam nas Americanas com 5,00 cada um pra comprar o chocolate pra semana e escolhiam, trocavam, faziam conta e jamais pediram pra ultrapassar a cota.
Menino que um dia entrou na joalheria com 30,00, com o uniforme sujinho depois do treino, colocou o dinheiro no balcão e perguntou o que dava pra comprar pra sua mãe.
Menino que corria em volta do quarteirão pro tempo passar mais rápido e chegar logo a hora de cortar o bolo do seu aniversário.
Menina que com um ano de idade dizia boa noite as 20:00, subia na cama e dormia. E acordava sozinha na manha seguinte, pegava uma banana, voltava pra cama e dizia "oi mãe".
Meninos que hoje batalham suas vidas da forma mais perfeita, honesta e íntegra que eu conheço. Nem precisava tanto pra merecerem cuidados.
Aliás não precisava nada. São meus filhos. Basta. Meu amor é incondidional e não preciso que me apresentem atestado de bom comportamento pra merecerem proteção e amparo.
Só que não consigo deixar de ver correr esse filminho na minha cabeça quando ouço tamanha palhaçada.
A esses meninos o progenitor diz que nao tem mais nenhuma obrigação. Obrigação aliás, é necessário que se diga, nao é cumprida a muitos anos.
Lamento meninos por ouvirem tudo isso. Mas deixa estar, venho aí montada numa execução alada e vou fazer cumprir cada centavo. Não é nada perto do muito de bom que vocês merecem e sei demais que vocês seguem com os procedimentos só e tão somente em apoio a mim, pois preferiam não ter que passar por mais essa dor.
Justiça? O exercício dela na tentativa de proteção aos nossos direitos lesados sempre nos fere. Só que às vezes é insuportável.

quarta-feira, agosto 13, 2008

Eu não perco por nada nesse mundo.

domingo, agosto 03, 2008

Café coas estrelas

Juju e um pedacinho da Helga, que é chique demais e não se dá ao desfrute...




Inara escolhendo sua tiara, presente da Mani, e a Helga contando algo terrível à Fal.

Béw. Meu mostruário favorito.


Sofofa e Nenéia. Muita fofice!

Naty, Claudio, Fal e Béw.

A gente tem que agarrar a Fal bem muito agora pois depois que ela for celebridade entre os escritores vai dar trabalho pressa mulé reconhecer a gente. Por isso temos fotos pra chantagear...ohohohohohho

Delícia de café! A melhor das companhias!
beijos meninas!