quinta-feira, maio 29, 2008

Desencanto

Estou cansada de um certo tipo de pessoa.
É um tipo que por absoluta covardia, ausência de conhecimento ou capacidade (ou até mesmo as três coisas juntas) suficiente a fundamentar uma opinião consistente, assumem uma posição de constante defensiva, camuflada em atitudes de dedo em riste e apontamento de erros sobre tudo e qualquer coisa à sua volta.
Essa camuflagem também se manifesta na forma de "verdades" ditas em tom de brincadeira, entre risos, coisas que essas pessoas não têm coragem de dizer claramente e usam do artifício do riso para dizê-las e, se confrontadas, saem pela tangente com a mais idiota das frases: " eu estava brincando"...
São pessoas incapazes de criar, inovar, fazer, enfim, comprometer-se em qualquer processo.
Eternamente em cima do muro, a primeira frase, expressão ou comentário dessas pessoas a algo novo é uma pérola de isenção e covardia: nem tão negativo que não permita uma virada de posição no futuro, dependendo do desenrolar dos fatos, nem tão entusiasmado a ponto de comprometê-lo numa posição.
Frases execráveis usadas frequentemente e com deleite por esse tipo de pessoa:
- eu sabia que não ia dar certo
- eu avisei
- viu?
- Ah...mas qualquer um via que...
Outro comportamento muito peculiar nesse tipo de pessoa é a necessidade de garantia sobre tudo. Você garante que vai dar certo? O que garante o resultado?
Nada garante nada. Eu muito menos.
Estou cansada dessa gente.
Quero gente que assuma o que quer, assuma o risco de fazer, faça em seu próprio nome e assine em baixo mesmo antes da aprovação pública.

3 comentários:

Ana Paula disse...

Ui, adoro você braba!

Tônio disse...

Sabe dona Suzi, ontem eu estava vendo o Justos, sabe aquele com cara de Pastel + Botox? O do topete grizalho lembra? Então, estavam na última fase, a tão temida mesa de demissão, etc e talz, dai o próprio diz uma estatístia:
- De todas as pessoas que estão numa empresa hoje,60% faz menos do mínimo, dos quarenta restantes tem uma divisão lá e no final apenas 10% se sobressaem e fazem algo a mais do esperado. Lembrei disto agora. Com certeza este tipo de pessoa que falas além de tudo deve estar dentro daquele bolo dos 60%. Aff. Odeio este tipo de gente também, odeio quem não faz as coisas andares, não se preocupa em fazer algo acontecer, vive parazitando os outros. Não tenho muita paciência para estes. Buenas, abraço, eu, Tônio, o da Briga no Gel.

Dalva Maria Ferreira disse...

Assino onde?