sábado, abril 26, 2008

Cafonices do interior, do meu tempo de criança, que eu adoro

- Figurinhas do Amar é...
- Toalhinhas de crochê
- Camas cheias de presentes de casamento
- Tapetes de retalhos
- Chão de ladrilho vermelho encerado e brilhante
- Cadeira de varanda de cordinhas de plástico

sexta-feira, abril 25, 2008

Correio

Aninha, quando vc vier a Tonks vai pra ponta da mesa e voce vai porão! Era só o que me faltava...

quinta-feira, abril 24, 2008

Caverna da Ogra: Bem vindos!

Já falei aqui de intolerância e soberba.
Indivíduos que levam suas crenças (vegetarianos, cristãos, hippies, o diabo!) como bandeiras desfraldadas a lhes conferir um posto invariavelmente superior ao restante da humanidade.
Esses caras me dão nos nervos.
Acredito que as escolhas que fazemos pra nossa vida, seja ela qual for, não passa disso: uma escolha. E ela pode ser celebrada alegremente entre os partidários da mesma, num encontro de semelhantes, sem que isso exclua nem segregue de forma alguma os que ficaram fora da roda.
Conheço religiosos e vegans que saudavelmente convivem numa boa com carnívoros e ateus sem que isso seja um problema e nem tentam convencer ninguém.
Pois bem.
Estou sendo apresentada a mais uma categoria: os amantes de bichos xiitas.
Explico.
Em janeiro me mudei para uma casa. E a pressão que a Xu está fazendo pra ter um cachorro ou um gato é grande. Pressão da Xu à parte, (tiro de letra!), o que me dá nos nervos é ser tratada como um monstro insensível e "pouco iluminada" por uma galerinha sem noção aí.
Escolher nao ter um bicho não é sinônimo de não gostar de bicho.
Isso me parece tão óbvio que nunca me pensei escrevendo tal frase. Acho bicho uma coisa linda, filhotes então são irresistíveis, não suporto bicho ser maltratado.
Mas...
Ninguém melhor que eu é capaz de avaliar minha vida, o meu tempo disponível zero, os malabarismos que faço pra manter dois trabalhos, minhas viagens de trabalho, minha casa e os cuidados com meus 3 filhos. Tudo sozinha. Então, na MINHA avaliação, e ela é a que mais conta ma MINHA vida, (desculpa aí!) não dá pra ter um bicho.
Então, àqueles que querem me convencer à força de pseudos-argumentos ditatoriais, usando a tática bem pouco sutil da conversão de uma ogra em um "ser humano sensível", meu recadinho amigo:
Vão pro diabo que os carregue!!!

terça-feira, abril 22, 2008

Isaura

O dia está lindo. Solzão, friozinho, do jeito que eu gosto.
Mas espiar pela janela é só o que posso fazer.
Meu nome é trabalho. O nome do meio é atrasado e nem queiram saber o apelido de família.

domingo, abril 20, 2008

Chamando todos os carros!

E haja produção...

sábado, abril 19, 2008

Sucursal do inferno

Agora me digam: posso com uma coisa dessas?

quinta-feira, abril 03, 2008

Eu que fiz!


. Sempre.
Um pouquinho de luxo.