segunda-feira, maio 21, 2007

Meu pé direito

Sabe a unha? Aquela? Que doía feito o cão e eu não podia nem com meia que dirá sapato? Pois é.
Unha encravada. Pode?
Um trem que dói desse jeito tinha que ter pelo menos um nome mais portentoso. A gente diz "unha encravada"e o pessoal nem dá bola. Acha que é coisa à toa. Pois saiba que à toa só pode ser a senhora mãe do caboclo que acha que isso é bobagem.
Quase morri.
O canto da unha que eu chorava (note bem, galera: chorava) quando algo encostava ali foi dissecado a ferros sem anestesia. Me senti transportada no tempo direto pra idade média. Já estava confessando até o crime da mala.
O alívio é imediato, verdade, mas o trem é bruto.
E olha que suporto dor direitinho. Em minha defesa tenho a dizer que tive 3 filhos, todos de parto normal e sem anestesia, por opção. Mas unha encravada eu tô fora.
Inclusive Dalvinha, a minha manicure, tem muuuito o que explicar. Não é porque tenho pulado a cerca e traído a bichinha com outras manicures por aí que ela pode ir jogando praga desse jeito.
Ufa! Vcs nao têm noção de como é bom poder calçar sapato. Aaaahhhhh.....

2 comentários:

Ana Paula disse...

Que maravilha!
Unha encravada é uó. A minha tem tendência a encravar, e eu vou a uma podóloga a cada 15/20 dias só pra fazer uma limpeza preventiva.
que bom que passou. Agora que tu já pode andar direitinho e tudo, vem aqui me visitar, vem?

Dalva disse...

Eu????? pois eu nem vi o teu pezinho, que dirá a unha encravada... belo texto, by the way! Invejinha... (do texto, não da unha!)