segunda-feira, setembro 18, 2006


ETIQUETA GLOBALIZADA
Site inglês lança guia para ajudar executivos a não cometer gafes em viagens de negócios

Betina Moura

A etiqueta surgiu na corte francesa do século XVII, na forma de pequenos bilhetes escritos pelo rei Luís XIV para ensinar os convidados a se comportar nas cerimônias. Mais de 300 anos depois, o mundo transnacional dos negócios não sobrevive sem ela. Para fechar um contrato em qualquer canto do mundo ou participar de um simples jantar de trabalho, todo cuidado é pouco para evitar gafes. Pensando em orientar os executivos sobre a melhor estratégia para garantir boas transações, o site inglês A-Z of Tourism (http://www.a-zoftourism.com/) acaba de lançar um manual de etiqueta empresarial.
As dicas vão das coisas práticas – como horário comercial e temperatura – às mais sutis. Sugerem não falar com argentinos sobre a Guerra das Malvinas ou com Egípcios sobre Israel. Explicam que em Hong Kong, as negociações poderão fracassar se quem liderar as tratativas tiver menos de 50 anos – os chineses associam a sabedoria a idades superiores a essa. Lembram também que pontualidade é fundamental nos Estados Unidos.
O Brasil é descrito como um país onde os atrasos são frequentes e a informalidade nas relações uma regra.
Os organizadores do guia fazem questão de avisar aos estrangeiros distraídos que os brasileiros não são hispânicos e não falam espanhol, mas português. E que os Estados Unidos não devem ser tratados como “América”: “muitos brasileiros também se consideram americanos”, alerta o site.
Algumas informações podem salvar o viajante de situações constrangedoras. Entre elas está a de que presentes pessoais na China correm o risco de ser considerados suborno. Outros conselhos, porém, são óbvios demais. Por exemplo, o guia diz que na Bélgica é preciso bater na porta antes de entrar. Em qualquer lugar do mundo, essa é apenas uma regra de boa educação.

Para não passar vexame: Algumas dicas para os homens de negócios

China
Evite sapatos de salto alto

Japão
Os japoneses preferem acordos orais a escritos. Evite fazer pressão para assinar documentos

EUA
Prepare-se para acordar cedo. O café da manhã é geralmente às 7 horas.

Índia
Não use roupas de couro. A vaca é animal sagrado no país.

Países Muçulmanos
Quinta e sexta-feira são dias sagrados e os escritórios geralmente não abrem. A bebida alcoólica é proibida. Cuidado ao conversar com as mulheres.

Rússia
Nunca fale sobre religião ou sobre monarquia

México
Colocar papéis do negócio em cima da mesa pode ser considerado rude

Egito
Documentos devem ser datados com base no calendário gregoriano (ocidental) e na Hégira (Islâmico)

Conselhos sobre o Brasil: como os estrangeiros vêem o país

- Quanto mais alto for o cargo, maior será o atraso do executivo
- Refeições de negócios são longas. Pelo menos 2 horas de almoço e 3 de jantar
- Não vá direto ao ponto e não saia correndo ao fim da reunião. Conversas informais são comuns.

Comigo os estrangeiros nào precisam se preocupar. Vou direto ao ponto. Sempre. Sou pontual e capaz de resolver tudo no cafezinho. Ponto por ponto. Síndrome de coelho da Alice. Grave e sem remédio.

2 comentários:

Mani disse...

Comigo também! Nem no médico me demoro, e sou rápida ao fazer compras! E sempre aviso à vendedora quando não pretendo comprar, só olhar, e aí ela pode encher o saco de outra cliente!!!

Suzi disse...

Mani, saudade docê.
beijos