sexta-feira, agosto 25, 2006

Túnel do Tempo


Quem não tem scaner sua-mente-pode-destruir que nem que a Fal, faz isso: fotografa foto.
E essa é uma viagem.
Começa com a menininha de vestido curtinho e sapatinho branco. Não, não sou a da frente. Sou aquela lá escondidinha atrás do arbusto. Só a posse dessa foto faria meu analista mexer em feridas que não quero nem pensar. Como não sou besta nem nada, nao mostrei isso pra ele. E já me dei alta. Toca.
A mocinha estudante da primeira série é um estouro, é ou não é? Coisinha mais fofa a golinha branca e querem saber? Essas alças sobre os ombros são de uma sainha de pregas azul marinho que ...ahá!...cruzavam nas costas!!! E no pé? Querem saber o que ia no pé? Um conguinha! Azul marinho com as bordas brancas de borracha. E, pra completar, uma lancheira de plástico verde claro. Per-fei-ta!
A noiva é aos 16 anos. E, não. Eu não estava grávida.
Lá em cima um sorriso de 15 anos.
Sentada na porta verde do teatro de bonecos em Curitiba, no festival de 1998, ao lado do Luis Amblat. Pasta de iluminadora, cheia de gelatina colorida e plano de luz pra montar. Uma delícia!
No trabalho, tomando o primeiro cafezinho do dia, enquanto o colega passa voando na minha frente.
Como é que a gente consegue botar no mesmo quadrinho uma volta tão imensa?

domingo, agosto 20, 2006

Don Giovanni


Fui assistir a uma montagem moderna da ópera Don Giovanni de Mozart.
Temos o ouvido do séc. XXI, habituado a toda sorte de informações musicais. E mesmo assim a obra do gênio é uma overdose.
Vamos do lirismo ao terror, passando pela leveza da comédia em acordes precisos.
Considerando a época e a influência musical de Bach e Haydn, é que percebemos a florescência do talento do gênio. Que não é ponte de nada pra lugar nenhum.
É inegável que ele tenha sofrido influências, como é inegável o talento de compositores anteriores como Bach e Haydn. Mas suas influências são acervo, base e tinta para o que cria. O conjunto de sua obra é único e só se insere em classificações de estilo em decorrência da época, pois nada era antes e nada foi depois como Mozart. Sua obra é solar mesmo quando se propõe trágica, como em Réquiem.
O famoso filme Amadeus, deixa a falsa impressão de que tudo em Mozart foi espontâneo. Que sua obra é praticamente psicografada. Vinha pronta de algum lugar no além e seu mérito seria apenas transpô-la para o papel. Alguns pesquisadores analisaram sua obra e é impressionante a relação de suas composições com a matemática, numerologia e gematria. Um equilíbrio tão perfeito de acordes que, no filme, por exemplo, a sua música não é trilha, é personagem. Tal perfeição não é mera conseqüência de "dom divino" nem "inspiração celestial". É trabalho. De um gênio, sim. Mas trabalho.
Um gênio que nasceu iluminado por um dom ímpar, visionário, capaz de ter uma ópera inteira na cabeça antes de escrever uma nota sequer. E suas óperas são aquela festa de côros que evoluem em perfeita sintonia com a cena que corre no palco. Côros em balcões ressoando a divina ira, percussões em batidas crescentes e excitantes interrompidas pelo solitário lamento de um oboé.
O delicioso e devasso Don Giovanni me parece autobiográfico. E o seu trágico fim é a consciência de uma época. Nenhuma transgressão seria perdoada.

sábado, agosto 19, 2006

Tá, eu sei que ninguém aguenta mais, só mais uma...


Huguinho de cabelo cortado pelos amigos, contando como foi receber a notícia e comemorar com a galera. É lindo, né? Esse meu moleque conta uma história como ninguém. Reparem que o dvd na tela é do Bruno e Marrone...pois é... vão vendo o grau do amor que faz uma coisa dessas...eu comprei de presente pra ele e deixei tocar na festinha, ainda cantei junto abraçada com o pestinha.
O irmão mais velho, Tiago, não pode estar presente pois está em Sampa fazendo Poli. Mas 9 de setembro é aniversário do Hugo, o Tiago vem pra Curipa e faremos mais uma festinha. Juntar as crias, lamber, apertar e morder é uma delícia.

Da Série: Matando o filho de vergonha ou Orgulho demais!



Mãe é isso: compra vaquinha de pelúcia e decora a casa com motivos rurais pra receber o filhote bixo... (dúvida se bixo escreve diferente de bicho)

quinta-feira, agosto 17, 2006

Como diz a Carol: não basta ser mãe, tem que matar o filho de vergonha.

Meu mais novo Homem do Campus


Chorei descontrolada quando vi o nome dele impresso na lista dos aprovados em Zootecnia na Universidade Estadual de Ponta Grossa 2007.
A gente sabe a vitória que foi isso. A gente sabe o gosto que tem.
E as lágrimas que brotam e correm pelo rosto não precisam ser contidas.
Parabéns HUGO CASTELANI!!!!!
Você é maravilhoso!
E a mãe te adooooooooorrrraaaaaa!!!!!!

terça-feira, agosto 15, 2006

O terror manda lembranças

Todo valor é relativo.
Valores absolutos só existem em matemática, assim mesmo, só no cursinho pré-vestibular.
A partir da faculdade, lidamos com tudo, inclusive com números, de forma relativa.
O valor das coisas varia de fulano pra fulano. O valor de um livro, pra mim, por exemplo, é maior ou menor ao do mesmo livro pra você.
Esses valores podem ser reai$, afetivos, o que for. Serão sempre relativos.

Pois é... Mesmo admitindo essa relatividade toda, é chocante ler o Guilherme Fiuza, coluna de Nomínimo de hoje:

“Talvez mirem num repórter mais famoso, e queiram sua mensagem veiculada no “Jornal Nacional”. Depois da perseguição aos policiais, está aberta a temporada de caça aos jornalistas."

Como assim? Não entendi.
Eu tinha imaginado que a estratégia de exibir a gravação na madrugada de domingo era com o intuito de não ampliar (mais que o mínimo necessário) a voz dos terroristas. E que tinha sido possível fazê-lo diante da não exigência de horário por parte dos bandidos. Ou isso também foi negociado, sei lá.
Mas diante da frase do Fiuza, me pergunto:

O máximo que valia pra emissora a pele do Portanova era a madrugada de Domingo?
Os terroristas até queriam o horário nobre, mas a “moeda”que tinham não dava pra negociar?
Quer dizer que se fosse o Bonner íamos ter chamada de Plantão do JN, Fantástico e Globo Repórter?
Morro e não vejo tudo.

segunda-feira, agosto 14, 2006

E o meu amado Othelo, que voltou pra parede depois de 4 anos guardado

Bibliotecas








A Fal que inventou de publicar no blog dela fotos da biblioteca de seus leitores. Tudo arrumadinho em estantes que nem o povo que lê a Fal tem, eu não tenho.
Mas copiei a Fal e saí fotografando alguns cantinhos meus com livros.
Agora preciso de mais prateleiras pra tirar o resto dos livros que ainda estão dentro dos armários.

domingo, agosto 13, 2006

Violetas


Elas estão começando a se organizar. Mas a rosinha, como tinha só 2 botõezinhos, esperou que as coleguinhas, todas com cores quase iguais, florissem, para depois, bem metida, colocar as petalazinhas de fora. Uma perva.

sábado, agosto 12, 2006

Neve em Curitiba


Hoje é dia de Baú... vejam mais esta que achei:
Um cartão postal, sem data, mas pelas roupas e pela cara da Rua XV deve ser década de 70.
Neve em Curitiba, gente! Não é demais?
Muito provavelmente seja inverno de 75, quando o Paraná teve todas as suas plantações de café (economia principal do Estado, na época) queimadas por causa da geada.
Eu era uma criança de 7 anos, e minha lembrança desse inverno é de almoçar na cama de tanto frio que fazia.

Do Baú


Sim, meus amores! Eu já fui uma moça que estudava teatro! E fazia pesquisa em biblioteca e tudo.
Mexendo no baú, encontrei este caderninho.
Olha só:

"A comunicação está mais preocupada em dizer alguma coisa do que expressar uma forma.
Não é próprio da comunicação o criar formas.
A comunicação tem um compromisso imediato com o público. Ela tem pouco tempo. Deve dizer imediatamente o que lhe interessa dizer.
Não se trata de pura expressão. O problema é dizer alguma coisa a determinado público.
Como a comunicação tem um compromisso imediato com o público, ela não pode usar formas inovadoras. Ela usa formas já capazes de serem entendidas pelo público.
Mas aqui há uma relação delicada.
Essas formas que ela usa não são totalmente ao nível do entendimento das massas.
Só é possível vender uma mensagem em termos criativos.
A forma que a comunicação usa está um passo à frente da massa. Mas é uma distância que pode ser percorrida. Há uma troca. A massa recebe alguma coisa em termos culturais, que faz com que o padrão do público se eleve cada vez mais.
A arte trabalha com símbolos, e o quanto estes aproximam-se dos arquétipos universais e são capazes de expressá-los formamente mais a obra tem condições de perenidade"

Arte e Comunicação
Autor: Jacob Klint


E, do alto da minha total sapiência, fui capaz de anotar no caderninho:

Artes Plásticas e Desenho
José de Arruda Penteado
(droga! ele só dá "receitinhas"!)
Pois é. Aos 27 anos eu julgava e condenava os livros indicados pelos professores. Coisa feia.

terça-feira, agosto 08, 2006

Barradas no Baile

Uma amiguinha da Carol, menor de idade. na portaria de uma balada, com uma identidade que não era dela:
- Nome da mãe.
- ....é...Fulana de.....Tal!
- Nome do pai.
- ....
-Você nao sabe o nome do seu pai?
- É que ele morreu.
- E porque ele morreu você não sabe o nome dele?
- É que eu não gosto de falar nesse assunto.

Pode?

Jorge Amado



É por estas e outras muitas que eu amo este homem:

Avô, mesmo que a gente morra, é melhor morrer de repetição na mão, brigando com o coronel, que morrer em cima da terra, debaixo de relho, sem reagir. Mesmo que seja pra morrer nós deve dividir essas terras, tomar elas para gente. Mesmo que seja um dia só que a gente tenha elas, paga a pena de morrer".


(Os Subterrâneos da Liberdade - Agonia da Noite)

segunda-feira, agosto 07, 2006

Navegação de Cabotagem


Lendo o que o Eduardo escreve com maestria (Pisando em Uvas aí do lado, vão lá, vão lá!), no seu último post sobre Neruda, me lembrei de uma das muitas histórias de Navegação de Cabotagem do Jorge Amado. As histórias das viagens que fizeram juntos Jorge e Neruda são impagáveis.
Sempre que vejo um artesanato gigante nas viagens que faço, lembro do Neruda carregando uma enorme cabeça de boi, por toda a China. Essa história é ótima.
Cada vez que Neruda via um trambolho desses gritava: "No puedo más vivir sin esto!" E lá vinha aquele transtorno todo.
O que se fez pra esconder esses trecos do Neruda e as peripécias executadas para transportar os trecos que nao conseguiram esconder dele sao hilárias.
Grandes personagens, grandes histórias, delicioso livro. É um daqueles de cabeceira.

Navegação de Cabotagem - Apontamentos para um livro de memórias que jamais escreverei. Sei. Sempre gozador esse amado Jorge.

quinta-feira, agosto 03, 2006

Roubado do Kibe Loco (link aí do lado)


O HOMEM, A LENDA, O MITO

Graças à força do cinema enlatado "Made in USA", muitos atores estrangeiros que, digamos, "atuaram" em filmes de ação e aventura são verdadeiros símbolos de força, masculinidade e bravura no mundo todo. É o caso do trio Bruce Willis, Sylvester Stallone e Arnold Schwarzenegger.
Não há quem não lembre de cenas marcantes desses astros em clássicos como "Duro de Matar", "Rambo" ou "O Exterminador do Futuro". É fato.Contudo, um outro ator muito mais forte, másculo, bravo e sobretudo talentoso, é, curiosamente, muito menos prestigiado por aqui. Por isso, enumero abaixo algumas verdades indubitáveis sobre Chuck Norris:
1 - As lágrimas do Chuck Norris curam o câncer. O problema é que ele é tão macho que não chora nunca. Nunca!
2 - Chuck Norris não dorme. Ele espera.
3 - Chuck Norris está atualmente processando a NBC. Ele alega que "Lei e Ordem" são os nomes patenteados para suas pernas ("Lei" a esquerda, "Ordem" a direita).
4 - Se você pode ver Chuck Norris, ele pode ver você. Se não pode ver Chuck Norris, você pode estar perto da morte.
5 - Chuck Norris contou até o infinito. Duas vezes.
6 - A última página do Guiness (livro dos recordes) diz em letras miúdas: "Todos os recordes do mundo pertencem a Chuck Norris. Nós apenas nos damos o trabalho de listar os segundos colocados em cada categoria."
7 - A Grande Muralha da China foi originalmente construída pra impedir a entrada de Chuck Norris naquele país. Ela falhou miseravelmente.
8 - Se você perguntar ao Chuck Norris que horas são, ele sempre dirá, "Dois segundos até..." Depois de você perguntar "Dois segundos até o quê?" ele dará um roundhouse kick na sua cara.
9 - Chuck Norris vendeu sua alma ao diabo para ter seu visual bacana e suas habilidades incomparáveis de artes marciais. Pouco tempo depois da transação terminar, Chuck Norris deu um roundhouse kick na cara do diabo e pegou sua alma de volta. O diabo, que aprecia ironia, não conseguiu ficar bravo e admitiu que deveria ter previsto isso. Eles agora jogam poker todas as segundas quartas-feiras de cada mês.
10 - Chuck Norris uma vez comeu 72 Kg de carne em uma hora. Ele passou os primeiros 45 minutos fazendo sexo com a garçonete.
11 - Quando Chuck Norris recebe os impostos, ele manda de volta folhas brancas com uma foto dele agachado, pronto para atacar. Chuck Norris não teve que pagar impostos nunca. Nunca!
12 - Chuck Norris era um dos personagens originais do jogo "Street Fighter II". Ele só foi removido porque todos os botões faziam ele dar um roundhouse kick. Quando perguntaram sobre essa falha do jogo, Chuck Norris respondeu: "Que falha do jogo?"
13 - Chuck Norris tem duas velocidades: Andar e Matar.
14 - Uma vez Chuck Norris comeu um bolo inteiro antes que seus amigos pudessem lhe contar que havia uma stripper dentro.
15 - Wilt Chamberlein declarou já ter dormido com mais de 20.000 mulheres em toda sua vida. Chuck Norris chama isso de uma "terça-feira monótona".
16 - Quando Deus disse "Que se faça a luz!", Chuck Norris falou "Diga 'por favor'."
17 - Uma vez Chuck Norris desceu a rua com uma ereção massiva. Não houve sobreviventes.
18 - Chuck Norris não lê livros, ele os encara até conseguir toda a informação que precisa.
19 - Chuck Norris jogou roleta russa com um revólver totalmente carregado e ganhou.
20 - Chuck Norris não tem um forno ou microondas, pois, como todo mundo sabe, "a vingança é um prato que se come frio."
21 - Chuck Norris pediu um Big Mac no Bob's. Ele foi atendido.
22 - Algumas pessoas usam uniforme do Superman. Já o Superman usa uniforme de Chuck Norris.
23 - Não existe queixo por trás da barba de Chuck Norris, apenas outro punho.
24 - Chuck Norris só passa as noites com a luz acesa. Não, Chuck Norris não tem medo do escuro, mas a recíproca não é verdadeira.
25 - Certa vez Chuck Norris deu um roundhouse kick tão rápido que quebrou a velocidade da luz, voltou no tempo e atingiu um navio chamado Titanic.
26 - Uma vez Chuck Norris desafiou o ciclista Lance Armstrong para ver quem tinha mais testículos. Chuck Norris ganhou por 5.
27 - Armas não matam. O que mata é Chuck Norris.Enfim, há muito mais a ser dito. Mas não quero me alongar. Só tô avisando para deixar algumas coisas bem claras. Detesto que cometam injustiça com os meus alunos.

Tortura


Essa diaba dessa mulher devia ser presa! Eu podia tá roubando, matando, só pra arrumar grana pra comprar esses trem tudo! Diacho!