segunda-feira, maio 22, 2006

reminiscências


Em tempos idos, fiz parte de um projeto do governo do estado do Paraná, em educação, que visava tirar a criança das ruas.
Trabalhávamos com escolas de periferia nos períodos contrários às aulas. Ou seja: a criança que tinha aula à tarde, ficava com a gente de manhã.
Supervisionávamos suas tarefas, ajudávamos nas dificuldades, além de esportes, trabalhos manuais, etc.
Pois bem. Minha turminha era composta em sua maioria por meninos. E vendo as unhas da turma sempre sujas e grandes, resolvi intervir. Levei um estojo de manicuri, mostrei pra todos e disse que íamos aprender a cortar e limpar as unhas. Todos sentados no chão, em círculo, comecei pelas minhas e depois, enquanto conversávamos, ia cortando e limpando as unhas de cada um e o ensinava a lixar.
Quando cheguei no Marcelo, um tipo caladão, ele ficou observando eu cortar as suas unhas e disse:
- Tia, a do dedão vc só limpa. Não corta não que é a de começar a mexerica.

Amo criança. Amo mexerica. E amo muuuuito "dedão de começar a mexerica".

Nenhum comentário: