quarta-feira, maio 31, 2006

Vadias, tremei!!


Vocês não tão entendendo... veja o sapato que eu achei pra combinar com a carteira que a Denize fez (desculpa aí!) pra mim!

domingo, maio 28, 2006

Roubado da Cora Rónai

Os bandidos na mesa do café

por Fernando Gabeira

Depois de uma hora de braçadas tranqüilas, saio da piscina e subo numa arquibancada de madeira para tirar a toalha da mochila. Olho para uma edificação baixa de tijolos vermelhos, com uma placa: alameda Paissandu. Diante dela, mesas brancas, cadeiras. Numa delas dorme o gato Amaral. O sacana do Amaral, como o chamamos: gordo, castrado, sonolento, ainda assim faz das suas, encostando-se nas gatas, irritando a torcida do Flamengo, "precisamos acabar com esses gatos no clube".
Nesses momentos de contemplação, nuvens desenhando anéis em torno da estátua do Cristo, sinto uma dor por ter dedicado tantos anos à política, com tão escassos resultados. Invade-me uma vontade de mudar de vida, fazer como o narrador do romance "O Enigma da Chegada" (de V.S. Naipaul), que se retira para o interior e passa apenas a observar e escrever o que está na sua frente.
Segunda-feira, auge da crise de violência em São Paulo, parti para Brasília para fazer um discurso de solidariedade e propostas, pensado durante o fim de semana sangrento. Não pude realizá-lo até o fim, embora o plenário estivesse vazio. Minha palavra foi cortada por um presidente ocasional. Ele vem do Norte toda segunda-feira e assume a presidência porque não há ninguém para abrir as sessões. Dá a impressão aos seus eleitores de que é importante, embora já tenha sua prisão preventiva decretada e inúmeras processos. Limitei-me a dizer: "Vossa Excelência é um bandidaço", embora soubesse que até os insultos seriam usados por ele junto aos eleitores como sinal de importância. A um jornal de Brasília, declarou que aqueles que assistem à TV no seu Estado pensam que é o presidente da Câmara.
Ele é desse numeroso e sórdido grupo com que, depois de tantos anos de lutas e sonhos, tenho de conviver no café da Câmara: contas fantasmas, entidades fantasmas, ambulâncias superfaturadas, desvios de verbas no hospital do câncer. A própria luz do Planalto atravessando as vidraças e banhando os flocos de poeira que flutuam nos torna também fantasmas, e você olha a mancha de iogurte na mesa do café, duvida se aquilo não é um ectoplasma desses putos que pintam o cabelo e beliscam a bunda das secretárias.
Marcola, o líder do PCC, já leu mais livros do que todos eles juntos; os da minha geração, que tiveram uma base político-militar -não no sentido de terem feito ações armadas, mas por terem curiosidade em relação às leis da guerra-, esses praticamente saíram de cena.
Fiquei surpreso ao perguntar por um grande nome do Partido Verde alemão, que surgiu nos anos 60, e soube que, ao deixar o governo, está quase aposentado. Lembrei de tantos outros que se voltaram para suas especialidades acadêmicas, dos que morreram, dos que simplesmente deram uma banana para a idéia de transformar o mundo.
De uma certa maneira, foram poupados dessa humilhação que sinto todos os dias ao ver que os bandidos estão triunfando na vida pública, que não só tomaram conta de tudo mas também tomam café ao seu lado, riem para você, falam sobre o tempo e reclamam da dureza da vida política.
É uma ilusão pensar que o mundo do crime ignora essas variáveis. Marcola já esteve aqui depondo e, nos poucos minutos que passei pela sala, olhou-me com muita freqüência, como se quisesse dizer: com esse tipo de gente me interrogando jamais sairá outra coisa, além do desprezo recíproco.
O mundo que está ruindo aos meus pés é muito desconcertante, pois leva consigo toda uma forma de pensar a política que nos reduz ao ridículo de tentar trazer a guerra urbana de São Paulo para o parlamento e ser interrompido por um idiota que está posando de presidente para seus eleitores do Norte.
O mundo que está ruindo nos impõe a humilhação de chamar de Congresso brasileiro um lugar onde os dirigentes da mesa estão mergulhados num escândalo e nem sequer pedem licença para serem investigados, um lugar onde o corregedor, num ano eleitoral, foi o primeiro a ser multado pela Justiça por fazer propaganda fora de tempo.
Numa semana tão importante, talvez não devesse enfatizar minhas frustrações. Acontece que não estou sendo humilhado sozinho, nem o está a pequena parcela de deputados honestos.
Enquanto não se desvendar o elo entre as quadrilhas que queimam ônibus, metralham policiais, fuzilam inocentes e os bandidos que nos cercam, poucos vão sentir a humilhação que sinto. E quando falo de vínculo não me refiro a advogados, emissários ou mesmo um ou outro deputado que possa estar ligado ao crime organizado. Refiro-me ao plano simbólico tão bem expresso na célebre frase carioca: está tudo dominado.O tudo dominado revela-se não apenas em números mas também em encenações falsas, pequenas omissões, um rígido controle da agenda para que venha à tona o debate dos verdadeiros problemas do país.
Aqui as matracas, os "treisoitões", as bananas de dinamite transfiguram-se em questões de ordem, permita-me um aparte, regimentos internos. Aqui e ali, no Planalto, onde instalamos um governo destinado precisamente a mudar tudo isso e que, no fim das contas, apenas exacerbou o processo, degradando-se e nos degradando.
Só penso em aposentadoria quando vejo o Amaral, gordo, castrado e sacana: divagações à beira da piscina. Não rolei tanto barranco para entregar o ouro aos bandidos. Se há uma boa maneira de viver os últimos dias, essa maneira ainda é o combate.

Leitura para viagem

Tapete de nuvens

Jogatina


Olha...vou dizer uma coisa: ainda bem que não tem cassinos no Brasil, senão eu me acabava!
Os seguranças se descuidaram e eu tirei a foto acima da maquininha caça níquel (é proibido fotografar nas áreas de jogo).
Meia hora de roleta e eu já tava entendendo como é que tem gente que perde a casa, o carro, a fortuna e a família naquelas fichas.
Eu, que nada tenho, perdi somente a pose e alguns dólares.
Recomendo!

segunda-feira, maio 22, 2006

Regras de convivência na Copa

Os maridos redigiram esta pérola e colocaram em circulação na net:

Querida Esposa,

1. De 9 de junho a 9 de julho de 2006, você deverá ler a seção de esportes do jornal de modo a se manter a par do que se passa com respeito à Copa do Mundo, o que lhe permitirá participar das conversas. Caso não proceda desta maneira, você será olhada com maus olhos, ou mesmo ignorada por completo. Neste caso, NÃO RECLAME por não receber nenhuma atenção.

2. Durante a Copa, a televisão é minha, o tempo todo, sem exceção. Se você dirigir o olhar ao controle remoto, uma vez sequer, você o perderá (o olho).

3. Se você precisar passar em frente à TV durante um jogo, eu não me importarei, contanto que o faça rastejando e sem me distrair. Se você decidir se exibir nua diante de mim à frente da TV, esteja certa de vestir-se imediatamente em seguida pois, se pegar um resfriado, não terei tempo de levá-la ao médico nem de lhe dar assistência durante o mês da Copa.

4. Durante os jogos eu estarei cego, surdo e mudo, exceto nos casos em que eu solicite que me encha o copo ou peça a você a gentileza de me trazer algo para comer. Você estará fora de si se achar que irei ouví-la, abrir a porta, atender o telefone ou pegar nosso bebê que possa ter caído no chão... não vai acontecer.

5. Seria uma boa idéia manter pelo menos 2 caixas de cerveja na geladeira o tempo todo, bem como razoável variedade de tira-gostos e belisquetes. E por favor não faça cara feia para meus amigos quando eles vierem assistir jogo aqui em casa comigo. Como recompensa, você estará autorizada a assistir à TV entre meia-noite e seis da manhã, a menos, é claro, que neste período haja a reprise de algum jogo que eu tenha perdido durante o dia.

6. Por favor, por favor, por favor! Se me vir contrariado por algum time de meu interesse estar perdendo, NÃO DIGA coisas como "Ah, deixa isso pra lá, é só um jogo..." ou "Não se preocupe, eles vão ganhar da próxima vez..." Se disser coisas desse tipo, só me deixará com mais raiva e vou amá-la menos. Lembre-se, você jamais saberá mais sobre futebol do que eu e suas supostas "palavras de encorajamento" apenas nos levarão à separação ou ao divórcio.

7. Você será bem-vinda a sentar-se comigo para assistir um jogo e poderá me dirigir a palavra no intervalo entre o primeiro e o segundo tempos, mas apenas durante os comerciais e (importante) APENAS se o placar do primeiro tempo tiver sido do meu agrado. Favor notar também que especifiquei UM jogo, ou seja, não use a Copa do Mundo como pretexto mimoso para aquela coisa de "passarmos tempo juntos".

8. Os repetecos dos gols são muito importantes. Não importa se já vi o gol ou não, eu quero ver novamente. Muitas vezes.

9. Avise suas amigas para no mês da Copa não darem à luz nenhum neném, ou mesmo promover qualquer festa de criança ou eventos de qualquer natureza que exijam minha presença, porque:
a) Eu não vou;
b) Eu não vou, e
c) Eu não vou.

10. No entanto, se um amigo meu nos convidar para ir à casa dele num domingo para assistir um jogo, iremos de imediato.

11. As resenhas esportivas da Copa toda noite na TV são tão importantes quanto os jogos propriamente ditos. Que nem lhe passe pela cabeça dizer coisas como "Mas você já viu isso tudo... porque não muda para um canal que todos possamos assistir?" Se disser algo assim, saiba desde já que a resposta será: "Veja a regra nº 2 dessa lista".

12. E, finalizando, por favor, poupe-me de expressões como "Graças a Deus que só tem Copa do Mundo de quatro em quatro anos". Estou imune a manifestações dessa natureza, pois após a Copa vêm a Liga dos Campeões, o campeonato italiano, o espanhol, o brasileirão, etc.

Grato por sua cooperação.

Não são uma gracinha? Não resisti e respondi:

Queridos...

1 – Certamente vamos nos manter informadas sobre o que se passa no Reino da Copa do Mundo. Até porque o Ricardinho, amigo nosso, está acostumado a nos cobrir de atenção quando somos ignoradas por completo por vocês. E é sempre mais agradável saber das novidades pelo sempre bem informado e atencioso Ricardinho que pela página de esportes do vosso jornal que se encontra, invariavelmente, no banheiro, meus queridos.

2- A TV é toda sua,meu bem. E o controle remoto também. Prometo, inclusive, nem estar em casa neste período para não atrapalhar de forma alguma a sua concentração.

3- Deixarei ao lado do controle remoto o cardápio e telefone de todos os delivery food do bairro, caso vc sinta fome na minha ausência.

4- Torço para que o Brasil conquiste o título, que os jogos sejam emocionantes, que vc se aborreça o menos possível. Enfim, meu amor, que o hexa chegue e deixe vc feliz e satisfeito também. Porque eu estarei. Com certeza. Ai....ai.... e com uma pele de pêssego!

Beijinhos
Suzi

reminiscências


Em tempos idos, fiz parte de um projeto do governo do estado do Paraná, em educação, que visava tirar a criança das ruas.
Trabalhávamos com escolas de periferia nos períodos contrários às aulas. Ou seja: a criança que tinha aula à tarde, ficava com a gente de manhã.
Supervisionávamos suas tarefas, ajudávamos nas dificuldades, além de esportes, trabalhos manuais, etc.
Pois bem. Minha turminha era composta em sua maioria por meninos. E vendo as unhas da turma sempre sujas e grandes, resolvi intervir. Levei um estojo de manicuri, mostrei pra todos e disse que íamos aprender a cortar e limpar as unhas. Todos sentados no chão, em círculo, comecei pelas minhas e depois, enquanto conversávamos, ia cortando e limpando as unhas de cada um e o ensinava a lixar.
Quando cheguei no Marcelo, um tipo caladão, ele ficou observando eu cortar as suas unhas e disse:
- Tia, a do dedão vc só limpa. Não corta não que é a de começar a mexerica.

Amo criança. Amo mexerica. E amo muuuuito "dedão de começar a mexerica".

domingo, maio 21, 2006

Eu quero!


Fiquei doida por uma vaquinha simpática dessas. A quarta da prateleira inferior, da direita para a esquerda é a minha preferida. A malhadinha de trás. Mas o bilhetinho cortou meu barato. O dono não vende, não dá e não empresta. Roubar eu tentei. Mas também não deu.

Cristianismo, meu karma.

Descobri isso recentemente numa pesquisa:

Paulo de Tarso não se contava entre os apóstolos originais, ele era um zelota judeu que perseguiu inicialmente os primeiros cristãos. No entanto, ele tornou-se depois um cristão e um dos seus maiores, senão mesmo o maior missionário. Boa parte do Novo Testamento foi escrito ou por ele (as epístolas) ou por seus cooperadores (o evangelho de Lucas e os actos dos apóstolos). Paulo afirmou que os preceitos da Torá estavam caducos e que a salvação dependia da fé em Cristo. Entre 44 e 58 ele fez três grandes viagens missionárias que levaram a nova doutrina aos gentios e judeus da Ásia Menor e de vários pontos da Europa.
Nas primeiras comunidades cristãs a coabitação entre os cristãos oriundos do paganismo e os oriundos do judaísmo gerava por vezes conflitos. Alguns dos últimos permaneciam fiéis às restrições alimentares e recusavam-se a sentar-se à mesa com os primeiros. Na Assembleia de Jerusalém, em
48, decide-se que os cristãos ex-pagãos não serão sujeitos à circuncisão, mas para se sentarem à mesa com os cristãos de origem judaica devem abster-se de comer carne sem sangue ou carne sacrificada aos ídolos (grifo meu). Consagra-se assim a primeira ruptura com o judaísmo.

Quem conhece D. Maura sabe do que estou falando. Tô besta. Então quer dizer que a Toda Poderosa segue ritos originários de cristãos ex-pagãos? Vocês podem até não entender nadinha do que eu estou falando, mas que isso é engraçadíssimo pra uma platéia interna, é. Ô se é!

sábado, maio 06, 2006

O drama do cartão

Me conta uma coisa: como é que faz uma criatura que quer pedir comida (pizza. esfiha, china, qualquer coisa!) e só tem cartão em casa?
Será possível que nenhuma pizzaria pensou no caso?
Os entregadores não podem carregar aquela diaba da maquininha?
Ou será que carregam e sou eu quem não conhece as pizzarias certas?

....


Putamerda... vou ter que comer miojo.


Preguiça é foda!

terça-feira, maio 02, 2006

Recebi isso por email e achei ótimo.

Imagine um lugar onde você pudesse ler gratuitamente todas as obras do Machado de Assis, obras como a "A Divina Comédia", ou ter acesso a historinhas infantis? Que este lugar lhe mostrasse as grandes pinturas de Leonardo da Vinci, ou você pudesse escutar gratuitamente uma música em MP3 de alta qualidade ? Pois o Ministério da Educação, está disponibilizando tudo isso.Basta acessar o site...

www.dominiopublico.gov.br

Só de Literatura em língua portuguesa há 732 obras!

Recebi e estou passando. Vale a pena.

Até que enfim alguma coisa boa vindo de nosso governo.

segunda-feira, maio 01, 2006

Vergonha

Manchetes de hoje no O Globo:

- Garotinho fazendo greve de fome "em defesa da verdade".
- Padre Marcelo Rossi rezando missa no hangar da Varig.
- PT só punirá (punirá?) envolvidos no mensalão depois das eleições.

Sabe o que me desespera? Imaginar arqueólogos de civilizações futuras tentando decifrar a nossa e encontrar essas coisas. E saber que toda essa nojeira está muito bem registradinha a garantir a posteridade da nossa vergonha.

Ai.