sexta-feira, abril 21, 2006

Ai meu pai...


Não aguento mais ver notícias desse astronauta. Caramba!

O assunto já não rendeu tudo, não? Tá em tudo quanto é lugar, todo santo dia: internet, jornal, TV....ahhhhhh!

Afinal de contas, que mérito teve isso? Pra mim a estação espacial abriu uma vaguinha na viagem, a custo de milhões, pra qualquer babaca que se candidatasse e pagasse o preço, a fim de diminuir o custo da operação.

E aí temos que aguentar a estrelinha desfilando em carro de bombeiro.

Quer perder quanto que essa figura agora vai dar consultoria em empresas e palestra em convenção de vendas?

Ai meu deus, e o que o Lula vai explorar essa desgraça no palanque não tá no gibi...

Morro e não vejo tudo.

quinta-feira, abril 20, 2006

Uma caminhada num dia liiindo!



Fotografar flores é covardia...eu sei. Mas quem resiste?

Adoro inverno.

Quatrocentas encarnações em Paris deixam sequelas irreversíveis.

E me digam uma coisa: homem de óculos escuros e sobretudo não é lindo?


Páscoa atrasada

Adorei! Achei no blog da Vanor


OS MANUSCRITOS DO BAR DA SANTA CEIA
por Cesar Cardoso

"E Jesus tomou do pão e fez uma bolinha com o miolo e tacou dentro do copo de vinho de Bartolomeu.
E Jesus acertou em cheio. E Jesus viuque era bom.
E transformou a água em vinho, os pratos em capacetes romanos,os copos em pequenas cruzes, os guardanapos em posters da Maria Madalena de biquíni e dois garçons em estátua de sal. E Jesus viu que era muito bom.
E Simão obtemperou: já não tereis bebido demais, ó Senhor? Não seria de bom alvitre pedirdes a conta? E o Senhor falou: por que não encherdes o saco de outro, ó Simão?
E vamos parar de falar na segunda pessoa do plural que esse negócio de vós isso e vós aquilo é um saco!
E Tiago olhou Jesus e ponderou: mas Senhor, vós, quer dizer, tu, não, o Senhor ainda tem dois sermões para fazer hoje, no Monte das Bananeiras e no Morro da Mangueira.
E Jesus mais uma vez protestou: vocês estão marcando um monte de sermão e milagre sem me consultar. Assim eu vou acabar partindo para uma carreira solo.
E Judas se levantou e disse: Senhor, abriu uma nova casa de show de um romano amigo meulá no Calvário. Se o Senhor quiser eu posso falar com ele.
E os apóstolos condenaram Judas. E começaram a bater boca. E uns, mais exaltados, ameaçavam partir pra briga. E Jesus deu um murro na mesa e bradou: chega! Não dá nem pra gente sair pra se divertir que vocês já começam com essa brigalhada! Essa é a última ceia que eu faço com vocês! Garçom, a conta!
E os apóstolos se calaram e o garçom trouxe a conta. E Jesus viu que havia doze porções de linguicinha. E Jesus viu que não era bom. EJesus esbravejou com o garçom.
E o garçom falou que doze era o número de pratos de linguicinha na mesa, bastava contar. E Tomé tomou da palavra e garantiu que só tinham sido pedidas seis linguicinhas e que as outras seis Jesus é que multiplicara.
E o garçom resmungou que esse golpe de dizer que alguém multiplicou coisas na mesa já estava pra lá de manjado ali na Galiléia e que todo fim de semana aparecia um engraçadinho com essa história.
E Jesus continuou olhando a conta e indagou se Pedro havia pedido lagosta de novo e lembrou a Pedro que eles haviam combinado que ninguém pediria lagosta pois era um peixe muito caro.
E Pedro negou que tivesse pedido lagosta e afirmou que lagosta não era peixe, era crustáceo. E Jesus retrucou que lagosta podia ser até um coleóptero mas não era pra pedir.
E por três vezes Jesus insistiu com Pedro se a lagosta era dele. E por três vezes Pedro negou Cristo: eu não pedi porcaria de lagosta nenhuma, eu tenho alergia a frutos do mar! E Mateus perguntou: mas afinal, lagosta é crustáceo ou é fruto do mar? E Judas mandou Mateus fechar a matraca.
E Paulo acusou Judas pela lagosta. E Judas caguetou que quem pediu a lagosta foi a Maria Madalena. E Maria Madalena xingou Judas de dedo-duro e caiu em prantos e implorou que Jesus a perdoasse. E Jesus disse: ó Madalena, o meu peito percebeu que o mar é uma gota comparado ao pranto teu!
E Maria Madalena achou lindo e Jesus viu que era bom e João queixou-se: eu não entendi. Essa mania que o Senhor tem de falar com metáfora ainda vai dar confusão. E Arnaldo suplicou: explicai, Senhor. E Jesus deu outro murro na mesa: já falei pra parar com essa história de vós! Aliás, quem foi que te convidoupra nossa ceia, hein? E Arnaldo saiu de fininho. E o garçom trouxe a nova conta e perguntou quem é que ia pagar. E novo bate-boca se iniciou entre os apóstolos. E Jesus pegou a conta e determinou: Judas, você é o nosso tesoureiro e portanto terá que pagar a conta.
E João observou: viu só, sem metáfora dá pra entender muito melhor. E Paulo deu uma cotovelada em João e João se calou e Jesus entregou a conta para Judas e Judas reclamou: mas Senhor, estão faltando trinta dinheiros, como é que eu vou arranjar essa quantia? E Jesus calçou suas sandálias e disse, partindo: se vira, Judas, se vira."

hahahahahahaha...não é demais?


quarta-feira, abril 19, 2006

Momento Bíblico

A fila de iranianos para se inscrever como homens-bomba reforça a teoria da escassez de virgens no Paraíso da tão condenada charge dinamarquesa, como bem disse o Zuenir Ventura na crônica de hoje no O Globo. Haja virgem! E de onde vem tanta meu pai do céu? O Islã explica em algum canto de onde vêm as virgens eternas do Paraíso?
Aliás, pessoalzinho estressado esses islâmicos não?
Guardadas todas as reservas que tenho com o cristianismo (reserva é eufemismo!), não posso negar que depois da inquisição o pessoal do clero católico tá bem mais light.
Já vi piada com os símbolos cristãos bem mais pesadas e nunca vi nenhum prêmio por cabeças rolando na web pago pelo Vaticano. Pensando bem, eles podem ser apenas mais discretos. Hummmmmm.

Falando em piada com símbolos cristãos, a minha preferida é aquela com o Jesus na cruz e Madalena ao lado. Legenda: "Hoje não, Madalena, que eu tô pregado!"

Putz...por que mesmo que eu não sei desenhar?

Uma História da Leitura


"Você não pode embarcar de novo na vida, esta viagem de carro única, quando ela termina", escreve o romancista turco Orhan Pamuk em O castelo branco, "mas se tem um livro na mão, por mais complexo e difícil que seja compreendê-lo, ao terminá-lo você pode, se quiser, voltar ao começo, ler de novo, e assim compreender aquilo que é difícil, assim compreendendo também a vida".

Uma História da Leitura - Alberto Manguel - Companhia das Letras - pág 38

Em breve comento. Tô apaixonada.

Ganhei em 2004 com dedicatória linda e ainda não tinha lido. Tinha leituras urgentes para pôr em dia. A propósito, ainda não o fiz.

Mas, decido ler e agora me delicio a cada página. Como diria o Silvio Santos: Aguardemmmmm!

terça-feira, abril 18, 2006

Janela Indiscreta

Uma taça de vinho tinto às quatro da tarde. Porque andar é difícil. Respirar é esforço. O sol brilha lindo e o vento é maravilhosamente gelado mas descer pra rua assusta. Abro um pouquinho de cortina e vejo que o João de Barro também não saiu. As pessoas passam embaixo da minha janela e embaixo da árvore sem saber que espreitamos seus passos e seus casacos. O João de Barro e eu. Adivinhamos o frio e o cheiro da tarde misturado ao cheiro da grama recém cortada. Gostaríamos que as coisas do mundo invadissem nossa casa e nossa vida entrando pela janela como uma lufada de vento gelado. Porque ir atrás da vida custa e dói. Por isso a taça de vinho tinto às cinco da tarde. Porque viver, às vezes, meus caros, é muito díficil.

sexta-feira, abril 14, 2006

Quero ter uma camiseta da Daspu

Uma grife feita por prostitutas com desfile e tudo, contratando a estilista das langeries da Madonna pra criar uma coleção de "roupas de baixo" pras meninas tem o meu apoio e a minha simpatia.
Onde será que a gente consegue uma peça sem morar no Rio de Janeiro?
Será que tem camisetas?

quinta-feira, abril 13, 2006

Promessa

Água e ar.... serei fogo e terra nesta troca na qual eu só ganho quando te entrego tudo o que tenho de mais íntimo, pessoal e preciosamente meu...

domingo, abril 09, 2006

Respeito



Comadre Angelina Jolie tem a minha admiração e o meu respeito. Afinal, dar o fora no Brad Pitt grávida de 9 meses não é pra qualquer uma não!

A moçoila disse que não casa, não casa e não casa e não tem força nesta terra que a obrigue a fazer dele um homem honesto.

Poder é isso minha gente!

Pé na bunda mais gostosa de roliúde!

Inveja...


sábado, abril 08, 2006

Árvores


Adoro árvores. E esta que fica abaixo da minha janela é linda.
É uma paineira que se cobre de flores cor-de-rosa uma vez por ano.
Agora ela está assim, peladinha.
Dentro de alguns dias estará coberta de folhas novinhas.
Amo estas mudanças.

Já tive árvores de estimação, como quem tem cachorros. À Genoveva, em Maringá, uma figueira frondosa e secular que ficava no caminho do Teatro Calil Haddad, eu pedia a bênção quase todos os dias.

Da Benedita, que ficava debaixo da sacada do apto da Rua Araxá, também em Maringá, tenho até hoje dois galhos secos que caíram no chão depois de uma chuva.

Pedaços de mim. Do meu caminho. Da minha saudade.

quinta-feira, abril 06, 2006

Guerra de gangues


Deu hoje no Globo, coluna do Ancelmo:

Fé e bicho

A arrecadação do jogo do bicho está em queda no Rio. Apontadores contam que as igrejas evangélicas abriram campanha contra o bicho. Chamam o jogo de pecado e pedem aos fiéis para canalizar seus trocados para os dízimos. É, pode ser.

Sem comentários. Tá bom, só um: no ilícito do bicho, pelo menos, os fiéis contam com a possibilidade, embora remota, de um prêmio. Que irá se reverter em seu benefício ainda nesta vida. Mais honesto, portanto.

Mas é interessante ver que a guerra do Lutero deu nisso.

domingo, abril 02, 2006

Radiografia

- Ele adora dizer que tá gordo, que tem cicatriz e que não é bonito só pra gente dizer o contrário;
- Ele gosta de procurar por cima das ruas o helicóptero da sua rádio preferida;
- Ele tem uma rádio preferida;
- Seu gosto musical inclui bandas descoladas, U2, jazz, blues e Marisa Monte;
- Ele finge que não percebe o efeito que o seu sorriso causa nas menininhas (tá bom vai, não só nas menininhas);
- Ele adora descobrir filmes que ninguém viu;
- A forma com que ele passa a mào no cabelo é uma assinatura.

Prece

Que eu não morra enquanto meus filhos não forem independentes.
Que eu não morra depois deles. Amém.

Vida


Tomando um café delicioso, lendo as notícias do dia e os blogs da minha paixão, penso na vida.
Vi num programa de TV (olha que curtchura!)a seguinte e relevante polêmica: é melhor ser feliz ou ter vida interessante?
Vamos às definições.
Ser feliz é ser uma ilha de bom humor e bem estar. É não se irritar com o trânsito, não sofrer com a perda, não ligar de ter levado um bolo, nem invejar aquela vaca que acabou de comprar aquele livro que você namora a meses! Parece a descrição de um completo idiota.
Ser feliz só consegue ser suplantado em idiotice e boçalidade pelo "e viveram felizes para sempre" de coloridos livros que não tivemos a sorte de ver queimados em praça pública junto com espartilhos e sutiãs.
A diferença básica entre ser feliz e ter uma vida interessante é a mesma entre Terra Prometida e saldo de conta bancária. Ser feliz é utopia idiota enquanto vida interessante é resultado de batalha diária e aprimoramento pessoal. Prefiro mil vezes ter assoalho pro meu cartão de crédito pois nem gosto tanto assim de leite e mel.
Viver é a certeza do frio na barriga, do choro de dor, da perda, da solidão, da alegria da chegada, do encontro, do reencontro, da saudade, da partida, do retrato, da lembrança, da conquista, do prazer do abraço, do beijo, do toque, da troca e do cuidado.
É sentir a chuva gelada batendo na cara, a arrepiar a pele. Uma pele que tudo suporta, repleta de poros ávidos por engolir o mundo.

sábado, abril 01, 2006

Contratempo

Isso é pra você aprender, Suzi Márcia, de que o cinema e a literatura sabem mais desses assuntos que você!
Ergue esta cabeça e olha pra frente!
Ou vai deixar que isso te derrube?